F1: Russell despista rumores sobre contrato com Mercedes e diz que futuro "não será anunciado" em Silverstone

Piloto britânico falou ainda sobre a fase da Williams, prevendo que a equipe volte a lutar na frente nos próximos anos

F1: Russell despista rumores sobre contrato com Mercedes e diz que futuro "não será anunciado" em Silverstone

George Russell refutou os rumores que circularam na imprensa europeia nos últimos dias de que já teria assinado contrato com a Mercedes para a temporada 2022 da Fórmula 1, que colocavam ainda que o anúncio seria feito já neste fim de semana, em Silverstone. Segundo o piloto da Williams, "nada será anunciado" sobre seu futuro durante o GP da Grã-Bretanha.

O britânico disputa com Valtteri Bottas a segunda vaga da Mercedes para 2022, já que Lewis Hamilton está confirmado na equipe até o final de 2023.

Leia também:

A Mercedes vem reafirmando nas últimas semanas que decidirá sobre a segunda vaga apenas durante a pausa de verão da categoria, com os contratos atuais de ambos os pilotos se encerrando no fim do ano.

E após o surgimento de especulações, Russell veio à público afirmar que ainda não fechou um contrato com a Mercedes, e que não haverá nenhuma notícia sobre seu futuro correndo em casa neste fim de semana.

Na edição desta semana do F1 Nation, podcast produzido pela F1, Russell foi questionado se já havia assinado com a Mercedes e respondeu: "Eu assinei com a Mercedes há cinco ou seis anos. Isso é 100% certo. Como todos sabem, eles cuidam de mim".

"Mas com relação a onde estarei no próximo ano, nada está assinado, e nada será anunciado em Silverstone. É a realidade".

Enquanto Russell segue sem pontuar com a Williams desde sua chegada em 2019, suas performances em meio às dificuldades da equipe, no fundo do grid, lhe renderam vários elogios ao redor do paddock.

Russell teve um gosto do que é ser piloto da Mercedes quando correu no lugar de Hamilton no GP de Sakhir do ano passado. Ele largou em segundo e dominou boa parte da corrida, antes que um erro no pit stop e um furo no pneu lhe custou uma vitória, terminando em nono.

Em corridas recentes, Russell chegou próximo de conquistar os primeiros pontos da Williams desde o GP da Alemanha de 2019, terminando em 11º na segunda corrida na Áustria.

Enquanto a Williams vem passando por um momento positivo em comparação aos anos anteriores, Russell acredita que o futuro da equipe é "incrivelmente emocionante" com os novos donos e a chegada do regulamento em 2022.

"Obviamente a equipe terminou em último nos três anos anteriores, mas tenho confiança de que esse não será o caso no próximo ano".

"As coisas estão melhorando. Jost [Capito, CEO] está fazendo um trabalho fantástico, construindo uma estrutura para que todos sejam mais eficientes, mais animados e cada decisão que foi tomada até aqui tem sido boa pelos motivos corretos".

"Não vejo um motivo que impeça a Williams de voltar a lutar na frente nos próximos anos".

"Isso pode ser bobo agora, mas basta olhar para 2013, quando Valtteri e Pastor [Maldonado] eram os pilotos. Eles foram nono ou décimo entre os construtores, mas no ano seguinte foram terceiro, lutando por pódios e pole positions na maioria das corridas".

"Esse esporte pode mudar em um piscar de olhos quando você traz grandes mudanças no regulamento. Dedos cruzados que, para a Williams, isso signifique uma mudança para melhor".

F1 2021: Bottas e Ricciardo são melhores que Leclerc e Alonso? Max e Lewis 'iguais'? Análise do game

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual é o tamanho da temporada de Norris até agora?

 

.
compartilhar
comentários
F1 se diz pronta para agir conforme relatório divulgado da Comissão Hamilton

Artigo anterior

F1 se diz pronta para agir conforme relatório divulgado da Comissão Hamilton

Próximo artigo

F1 não forçará corridas sprint em 2022 se testes não forem bem-sucedidos

F1 não forçará corridas sprint em 2022 se testes não forem bem-sucedidos
Carregar comentários