F1: Sainz traça meta de consistência para brigar por título em 2023

Espanhol quer retomar estabilidade apresentada em 2021 após apresentar uma temporada de altos e baixos com a Ferrari

Carlos Sainz, Ferrari F1-75

Carlos Sainz finalmente quebrou a sina e se tornou um vencedor de corridas na Fórmula 1 neste ano, ao triunfar no GP da Inglaterra, além de marcar pole na Bélgica e nos EUA coroando sua temporada de maior sucesso na categoria até o momento. 

Leia também:

Mas o espanhol também ficou 62 pontos atrás do seu companheiro de equipe da Ferrari, Charles Leclerc, vice campeão. Ao longo do ano, seus esforços não foram ajudados uma vez que Sainz teve seis abandonos - incluindo em Austin, onde foi atingido na primeira curva, e na Áustria, quando parecia estar prestes a terminar em segundo.

O piloto da escuderia italiana sentiu que havia "muitas coisas boas" das quais "sempre se lembraria" da sua temporada de 2022, mas estava ansioso para tentar nivelar alguns dos "momentos muito difíceis" e ter um ano mais consistente em 2023.

“No começo, tive dois abandonos consecutivas [Melbourne e Imola] e no final estava pilotando bem, mas sofri o acidente em Austin quando larguei da pole position e também o carro não estava mais lá para vencer”, disse. disse Sainz.

"Tive muitos altos e baixos. Para o próximo ano, espero que haja menos pontos baixos e muitos picos altos para poder ter uma temporada mais linear."

Sainz disse que agora sabe o que é preciso para vencer uma corrida na F1 e lutar na frente, o próximo passo é sustentar isso por uma temporada e garantir que haja resultados consistentes ao longo do ano - algo que ele sentiu ter alcançado em 2021.

Carlos Sainz, Ferrari F1-75

Carlos Sainz, Ferrari F1-75

Photo by: Erik Junius

"Meu objetivo é ser consistente", disse ele. “Para ganhar corridas, eu já sei o que é [preciso], mas se você quer lutar pelo campeonato mundial, tem que ser consistente.

“Se você está na frente, o pior resultado é o quinto ou sexto, mas com seis ou sete abandonos que tivemos, uma série de pontos foram embora e o nos fizeram perder o campeonato mundial – embora também seja verdade que Verstappen e Red Bull foram mais fortes.

“Acredito que aprendendo essas duas lições e voltando a ser o consistente Carlos de 2021, posso lutar pelo campeonato mundial”.

Sainz terminou o ano em quinto lugar no campeonato, mas disse que a chance de lutar pelo título parecia "próxima e distante ao mesmo tempo" .

“Perto porque estou em uma das melhores equipes do mundo, mas na F1 o nível é alto, tanto em termos de equipes quanto de pilotos”, afirmou. “Vou colocar o esforço e o desejo ano após ano, mas as circunstâncias têm que surgir para ter um dos melhores carros e tirar vantagem disso.

"Este ano é o primeiro que tenho um carro realmente competitivo e me fez aprender muito. Tenho certeza que vou aproveitar isso para melhorar no futuro."

Bastidores da possível 'volta' da Honda à F1, como montadora ou equipe própria

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate os pilotos destacados da F1 2022; ouça já!

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Red Bull manda 'indireta' para Mercedes, Ferrari e FIA em cartão de natal
Próximo artigo F1: Para Coulthard, diferença entre Pérez e Verstappen é "clara" e vai além do carro

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil