F1: Verstappen lamenta falta de aderência na 'confusa' classificação de Portugal

compartilhar
comentários
F1: Verstappen lamenta falta de aderência na 'confusa' classificação de Portugal
Por:
, Editor

Piloto da Red Bull largará na terceira colocação na prova deste domingo (25) em Portimão, pista inédita na Fórmula 1

Max Verstappen acredita que a classificação do Grande Prêmio de Portugal de Fórmula 1 deste sábado (24) foi “confusa”, pois as mudanças nos níveis de aderência fizeram ele estabelecer seu melhor tempo apenas no Q1.

Os pilotos têm lutado com a aderência em Portimão ao longo do final de semana de corrida até agora, devido a uma combinação da pista recentemente reasfaltada e a seleção de pneus mais duros.

Leia também:

Verstappen se classificou em terceiro e terminou a apenas 0s252 da pole position de Lewis Hamilton, da Mercedes.

Porém, o holandês estabeleceu seu melhor tempo do dia no Q1, 0s025 mais rápido do que na volta do Q3, enquanto lutava por aderência em meio a uma evolução ou melhoria mínima da pista. “O final de semana inteiro já foi realmente complicado para fazer os pneus funcionarem,” disse Verstappen.

“Além dos pneus, o asfalto está escorregadio. [Há] apenas uma linha que você pode seguir”.

“No geral, ainda é bom ser terceiro, mas foi uma classificação confusa . Eu fiz minha volta mais rápida no Q1, e depois disso não consegui repetir o desempenho porque não tinha a mesma aderência”.

“É claro que o tempo acaba no Q2 e no Q3, você tem menos tempo para fazer as voltas. Pareceu que foi um pouco mais difícil para nós colocar os pneus em uma boa janela, embora eu ache que do Q3 ao Q2, me senti um pouco melhor, digamos, na primeira volta cronometrada”.

“Foi melhor, mas para mim não é muito agradável conduzir neste momento com os pneus e aderência da pista”.

“Estive aqui em janeiro e pensei que seria fantástico conduzir um carro de Fórmula 1, com a aderência que temos”.

“Para mim, pessoalmente, você não pode acelerar ao máximo. Você está apenas dirigindo no gelo. É uma pena”.

Verstappen parecia estar na disputa pela pole position antes das últimas voltas do Q3. Com os dois pilotos da Mercedes optando por pneus médios, Hamilton melhorou seu tempo e garantiu a pole position à frente do companheiro de equipe Valtteri Bottas.

Foi a segunda corrida consecutiva em que Verstappen pareceu mais próximo dos pilotos da Mercedes, mas ele sentiu que era difícil julgar se a Red Bull havia realmente reduzido a diferença.

“Mais uma vez, estivemos muito perto, [é] apenas difícil realmente julgar novamente o desempenho por causa dos pneus e da aderência,” disse Verstappen. “Acho que temos que voltar a uma pista por onde pilotamos antes, como nos últimos anos, e ver onde estamos, porque aí temos um pouco mais de conhecimento”.

“Esse tipo de evento às vezes é imprevisível. Às vezes você pode fazer melhor do que os outros”.

“Mas ainda assim, ser P3 e estar bem perto deles é uma boa conquista, eu acho”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Neste fim de semana, a F1 visita Portimão, para o GP de Portugal. E uma equipe que vem se destacando na temporada 2020 é a Renault, que vem mostrando muita consistência, com Daniel Ricciardo entre os seis primeiros nas últimas quatro provas. Pode ser uma boa aposta para o fim de semana hein? Quer saber mais? Confira o ThePlayer.com e não perca nada!

Q4: Assista ao debate sobre o treino classificatório para o GP de Portugal de F1, com Lucas Foresti

PODCAST: O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

 

F1: Bottas lamenta estratégia do Q3 em Portugal

Artigo anterior

F1: Bottas lamenta estratégia do Q3 em Portugal

Próximo artigo

F1: Pérez recebe reprimenda da FIA por incidente com Gasly

F1: Pérez recebe reprimenda da FIA por incidente com Gasly
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Luke Smith