Fórmula 1 GP de Mônaco

F1: Wolff responde acusação de Hamilton sobre tratamento preferencial a Russell na Mercedes

Fim de semana em Mônaco foi marcado por tensões entre o heptacampeão e a equipe alemã, com a insinuação de preferência e rusgas pelo rádio nas sessões

George Russell, Mercedes F1 W15, Lewis Hamilton, Mercedes F1 W15

O chefe da Mercedes na Fórmula 1, Toto Wolff, negou as alegações de Lewis Hamilton sobre um possível tratamento preferencial a George Russell na equipe alemã, mas diz que o heptacampeão tem todo direito de ser cético quanto a isso.

Hamilton chamou a atenção no GP de Mônaco quando sugeriu que não teria como superar Russell novamente em 2024 - fazendo questão de salientar que seu companheiro tinha uso de uma asa dianteira exclusiva para a etapa.

Leia também:

Posteriormente, veio à tona a informação de que Hamilton recusou a oportunidade de usar a asa dianteira porque não queria arriscar uma largada no pitlane se ela fosse danificada na classificação. Mas os comentários do heptacampeão sobre Russell ter uma vantagem sugeriram alguma preocupação com o fato de as coisas não estarem totalmente equilibradas entre eles.

Essa é uma alegação que Wolff diz não se basear na realidade. Ele afirma que a única vez na era moderna da Mercedes em que ela interveio para influenciar uma batalha entre companheiros de equipe foi no GP de Abu Dhabi de 2016.

Isso aconteceu quando Hamilton tentou segurar em Nico Rosberg durante o confronto pelo título, e foi repetidamente instado a aumentar seu ritmo no pitwall.

Perguntado se os comentários de Hamilton sobre Russell eram um sinal de que havia alguma paranoia de que ele não estava recebendo tratamento igual porque estava saindo no final do ano, Wolff disse: "Todos os pilotos não são um pouco céticos às vezes?".

"Acho que, como equipe, temos demonstrado, mesmo nas competições mais tensas entre os companheiros de equipe, que estamos tentando sempre equilibrar as coisas, ser transparentes e justos. Acho que não houve nenhum momento, com exceção do GP de Abu Dhabi de 2016, em que tentamos gerenciar uma corrida, e não fizemos isso desde então".

"Entendo que, como piloto, você quer o melhor para si mesmo e para a equipe e, às vezes, quando isso está contra você, você pode questionar. Mas, como equipe, estamos 100% empenhados em dar aos dois pilotos dois carros excelentes, os melhores carros possíveis e as melhores estratégias e suporte possíveis".

George Russell, Mercedes-AMG F1 Team, Lewis Hamilton, Mercedes-AMG F1 Team

George Russell, Equipe de F1 da Mercedes-AMG, Lewis Hamilton, Equipe de F1 da Mercedes-AMG

Foto de: Zak Mauger / Motorsport Images

O relacionamento de Hamilton com a equipe foi colocado no centro das atenções durante o fim de semana em Mônaco, pois houve vários outros momentos em que ele questionou o que a equipe havia feito.

Houve a mensagem "Eu avisei vocês" sobre ter que fazer a relargada em Mônaco com pneus médios por causa da escolha inicial da equipe pelos duros e, depois, o erro de comunicação que fez com que ele não forçasse ao máximo em sua volta após os pits para fazer o undercut contra Max Verstappen.

Wolff disse que as tensões no sistema eram apenas uma parte do desejo de todos de fazer o máximo possível em circunstâncias difíceis.

"Estamos tentando tirar o melhor proveito do relacionamento e tentando maximizar os resultados desta que é a última temporada. E, como sempre acontece entre os pilotos, às vezes pode ser tenso, porque todos querem fazer o melhor".

E, embora Russell tenha superado Hamilton sete vezes contra uma até agora neste ano, Wolff não vê isso como evidência de que as coisas continuarão assim durante toda a temporada.

"Não acho que haja uma explicação específica para a estatística, mas ainda é uma estatística", disse ele. "Estamos em sete corridas e ainda faltam 17. Não vejo isso como uma tendência". 

Tanto Hamilton quanto Russell receberão a nova asa dianteira da Mercedes na próxima corrida no Canadá, como parte da caça pelas atualizações que a marca alemã vem empreendendo.

Newey NÃO VAI À FERRARI e 2 EQUIPES estão MAIS PERTO de contratá-lo: REVIRAVOLTA IMPORTANTE na F1!

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Podcast Motorsport.com debate: Verstappen e RBR ameaçados em 2024?

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte do nosso canal no WhatsApp: clique aqui e se junte a nós no aplicativo!

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Ex-chefe da Renault, Briatore negocia retorno à Alpine no processo de reconstrução
Próximo artigo F1: Antonelli quebra expectativas em teste da Mercedes e encaminha futuro; entenda

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil