FIA: Não violaremos as regras ao não permitir a entrada de novas equipes na F1

O presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, disse que entendia por que as equipes atuais haviam expressado preocupação com a expansão do grid, mas destacou que a entidade não podia violar as regras e não passar os interessados pelo processo de recrutamento

Gianni Infantino, presidente da FIFA, e Mohammed Ben Sulayem, presidente da FIA

Mark Sutton / Motorsport Images

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) abriu, em fevereiro deste ano, o processo de carta de intenção para as equipes que desejam se juntar à Fórmula 1. Posteriormente, várias indicaram que gostariam de fazer parte do grid, mas os membros atuais continuam relutantes em aceitar por medo de perder receita.

O editor recomenda:

Além disso, o CEO da F1, Stefano Domenicali, disse recentemente que acredita que dez equipes são "mais do que suficientes". Mas o processo continua, com a FIA e a F1 decidindo até o final do mês quais equipes serão aceitas. "Há algumas que querem participar", disse Bin Sulaym ao GrandPrix247.

"Estamos felizes que elas estejam expressando interesse. Estamos trabalhando com a FOM e com Stefano Domenicali." Tanto a F1 quanto a FIA poderiam bloquear a entrada de um candidato em potencial e o presidente sabe que os membros das equipes atuais não querem uma expansão.

"Eu vejo as perguntas que as equipes estão fazendo. Isso é realmente importante e nós da FIA temos preocupações semelhantes." Contudo, a FIA não pode rejeitar candidatos que tenham cumprido as condições estabelecidas.

"Quando se trata da carta de intenções, existem regras e não podemos impedir uma candidatura só porque temos outras opções. Além disso, não podemos dizer não se eles atenderem a todas as condições. Portanto, entendo as preocupações dos outros, mas não podemos violar as regras."

"Espero que eles entendam nossa posição com relação a isso. É por isso que podemos seguir em frente juntos. Mas uma coisa que eu definitivamente não farei é quebrar as regras", concluiu Ben Sulayem, que também está satisfeito com o fato de a Honda ter anunciado seu retorno em 2026, pois isso garantirá seis fabricantes de motores na série.

Rico Penteado abre o jogo sobre Michael Schumacher

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate se já há como comparar Verstappen e Senna na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Verstappen não veta nenhum piloto de assinar com a Red Bull, garante empresário
Próximo artigo F1: Influência de Newey na Red Bull vai (muito) além do design do carro; entenda

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil