Massa aprova teto orçamentário na F1: “Já deviam ter feito há muito tempo”

compartilhar
comentários
Massa aprova teto orçamentário na F1: “Já deviam ter feito há muito tempo”
Por:
, Especial para o Motorsport.com

Vice-campeão de 2008 falou sobre as novas regras da Fórmula 1 e sobre a dura missão da Williams para voltar ao topo

No Brasil para correr na Porsche Cup Endurance, Felipe Massa falou com exclusividade ao Motorsport.com sobre o pacote com teto orçamentário e novo regulamento técnico para 2022 na Fórmula 1, além da situação difícil da Williams, sua última equipe no mundial.

Sobre o novo regulamento técnico que entra em vigor em 2022 e o teto orçamentário de US$ 145 milhões (R$ 775 milhões), com efeito já em 2021, Massa foi enfático.

Leia também:

“Isso é algo que já tinha que ter sido feito há muito tempo e sem dúvida isso vai ser uma ajuda até para equipes menores de tentar deixar os carros mais competitivos, mais próximos. Esse é o caminho e a vontade de todos.”

Para o brasileiro, a mudança na regra dos gastos das equipes vai diminuir o abismo que existe na performance dos carros da principal categoria do esporte a motor, mas acredita as equipes pequenas não disputarão as vitórias.

“Vai ser bem difícil, mas eu acho que pelo menos vai acontecer a aproximação da pior para a melhor, isso vai acontecer”.

O teto, embora importante, não atinge gastos como o salário de pilotos ou ações de marketing.

Outro tema abordado com Massa foi a atual situação da Williams, equipe defendida pelo brasileiro de 2014 a 2017. Massa disse que o trabalho dos novos gestores da tradicional equipe inglesa não será simples.

“Tem um tempo longo aí pela frente, tem muita coisa pra mudar na equipe. Acho que esse grupo precisa investir muito dentro da equipe e a subida é inclinada, sem dúvida a situação da Williams não é simples nesse momento.”

A equipe inglesa foi vendida à empresa de investimento, sediada nos Estados Unidos, Dorilton Capital, no dia 21 de agosto de 2020.

A Williams é a segunda escuderia de propriedade de um grupo dos EUA, assim como a Haas.

EXCLUSIVO: Para Felipe Massa, ex-rival Lewis Hamilton "tem bom coração, mas não é feliz"; assista

PODCAST: O que resta para Massa no automobilismo após sair de sua equipe na Fórmula E? Ouça

 

.

 

 

 

Hamilton pretende criar oportunidades para minorias com equipe da Extreme E, categoria de off roads elétricos

Artigo anterior

Hamilton pretende criar oportunidades para minorias com equipe da Extreme E, categoria de off roads elétricos

Próximo artigo

Chefe da AlphaTauri destaca motivação de Gasly e torcida pela permanência do francês: "Sigo otimista de que ele continuará"

Chefe da AlphaTauri destaca motivação de Gasly e torcida pela permanência do francês: "Sigo otimista de que ele continuará"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Guto Mauad