Mercedes se diz “curiosa” para ver desempenho em Cingapura

Time alemão está ansioso para verificar se resolveu os problemas apresentados pelos carros da equipe na prova do ano passado em Marina Bay

Mercedes se diz “curiosa” para ver desempenho em Cingapura
Toto Wolff, Mercedes AMG F1 Shareholder and Executive Director
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 W06, ultrapassa Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W06
Nico Rosberg, Mercedes AMG F1 Team
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W07 and Nico Rosberg, Mercedes AMG Petronas F1 W07 in the Press conference
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team
Carregar reprodutor de áudio

O GP de Cingapura de 2015 foi, sem dúvida, o pior da temporada passada para a Mercedes, que viu tanto Lewis Hamilton quanto Nico Rosberg incapazes de brigar pela vitória em Marina Bay – o alemão terminou em quarto, enquanto o britânico abandonou com problemas na unidade de potência.

De qualquer forma, o time alemão foi incapaz de extrair performance dos pneus em Cingapura. Embora a Mercedes tenha investigado o ocorrido nos dias seguintes e acredite ter encontrado respostas sobre como lidar com os compostos na pista de rua em Marina Bay, não há certeza de nada até que as ‘flechas de prata’ andem no circuito – o GP de Cingapura acontece no próximo final de semana.

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que o problema de 2015 voltou a ser tema de conversas durante o final de semana do GP da Itália e admitiu que o time não está totalmente confiante de que tenha resolvido o problema.

“Falamos sobre Cingapura durante nosso briefing. Não fomos bem lá no ano passado e acredito que entendemos os motivos que nos levaram a andar mal por lá. Tiramos algumas conclusões, que nos ajudaram nas corridas seguintes e durante a temporada. Quando voltarmos a Cingapura vamos ver se nossas descobertas vão funcionar”, afirmou.

Wolff destacou ainda que os problemas enfrentados em 2015 não tiveram apenas uma origem, mas foram o resultado de várias circunstâncias relacionadas ao acerto do carro e da temperatura dos pneus.

“Não há um ‘bode expiatório’. Muitas coisas juntas geraram nossos problemas e é por isso que estou curioso para ver como andaremos em Cingapura”, acrescentou.

Nico Rosberg, vencedor das duas últimas etapas da temporada 2016, corroborou a fala de Wolff no sentido de que a Mercedes não está totalmente tranquila quanto ao retorno a Marina Bay.

“Não podemos chegar lá muito confiantes, pois estávamos muito atrás no ano passado. Se não me engano, ficamos a 1s8 da pole em 2015 – é muita coisa. Foi, sem dúvida, nossa corrida mais complicada nos últimos anos. Então será uma corrida desafiadora para nós. Não será fácil melhorar 1s8”, completou o vice-líder da temporada.

compartilhar
comentários
Gasly afirma que esclareceu mal entendido com Red Bull
Artigo anterior

Gasly afirma que esclareceu mal entendido com Red Bull

Próximo artigo

“Não somos favoritos” para GP de Cingapura, diz Mercedes

“Não somos favoritos” para GP de Cingapura, diz Mercedes