Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
56 dias
06 mai
Próximo evento em
98 dias
20 mai
Próximo evento em
112 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
126 dias
10 jun
Próximo evento em
133 dias
24 jun
Próximo evento em
147 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
154 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
168 dias
29 jul
Próximo evento em
182 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
210 dias
02 set
Próximo evento em
217 dias
09 set
Próximo evento em
224 dias
23 set
Próximo evento em
238 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
245 dias
07 out
Próximo evento em
252 dias
21 out
Próximo evento em
266 dias
28 out
Próximo evento em
273 dias
05 nov
Próximo evento em
281 dias
R
GP da Austrália
18 nov
Próximo evento em
294 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
309 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
318 dias

Quarentena de 14 dias foi principal motivo por trás de adiamento do GP da Austrália para novembro

compartilhar
comentários
Quarentena de 14 dias foi principal motivo por trás de adiamento do GP da Austrália para novembro
Por:

Ministro dos Esportes do estado de Vitória e o responsável pela organização do GP compararam o evento com a situação do Australian Open de tênis

Na terça-feira, a Fórmula 1 confirmou o adiamento do GP da Austrália para o mês de novembro, algo que já era esperado pelo paddock devido às normas em vigor no país com relação a entrada de pessoas de outros países. E a organização do evento e o Ministro do Esporte do estado de Vitória explicaram os motivos por trás do pedido pela mudança de data.

A decisão pelo adiamento da etapa de Melbourne foi vista como algo sensato da parte da F1, evitando uma situação igual à de 2020, quando a prova foi cancelada a menos de duas horas do primeiro treino livre devido a um caso positivo de Covid-19 de um membro da McLaren. A realização da prova já era muito questionada devido ao rápido avanço da pandemia para além da China, seu epicentro. À época, a Europa já via um pico de casos em diversos países.

Leia também:

A organização do GP tentou encaixar a prova no segundo semestre, mas o avanço da pandemia pelo mundo e a proibição de entrada de pessoas de outros países na Austrália levaram ao cancelamento definitivo do evento. Mas a manutenção das normas deixaram a situação do GP de 2021 em xeque.

Por certo tempo, foi considerada a adoção de uma biosfera, assim como a feita no GP de Abu Dhabi, em que os membros do paddock e todos os envolvidos com o evento foram obrigados a permanecer em um espaço de circulação limitada. Mas com o grande número de envolvidos, com cerca de 1,2 mil estrangeiros tendo que fazer uma quarentena de 14 dias antes de poder circular pela região, além dos funcionários do próprio país, a proposta foi vista como inviável.

Em entrevista ao jornal The Age, de Melbourne, o Ministro dos Esportes do estado de Vitória, Martin Pakula, explicou a situação da F1, comparando com a situação do Australian Open, torneio de tênis que começou no último domingo (10), mas com as chaves classificatórias acontecendo em Doha, no Catar e em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

"O Tênis concordou com isso [quarentena de 14 dias para funcionários e jogadores], mas isso não foi possível com a Fórmula 1", disse. "Então, sob essas circunstâncias, você tem a combinação de diversos fatores, como o número de australianos que estão retornando ao país".

"A CQV [Comissão de Quarentena de Vitória] está trabalhando em proximidade com a Federação de Tênis sobre o Australian Open... em nossa visão, a melhor ideia seria ter o GP no final do ano, se fosse possível".

"Um dos pontos positivos em ganhar dez meses é que eu acredito que a situação será bem diferente em novembro em comparação com o que temos agora, em janeiro".

O CEO da Australian Grand Prix Corporation, Andrew Westacott, responsável pela organização do GP, disse que o adiamento não se deu porque as equipes e funcionários da F1 não estavam dispostos a fazer a quarentena, mas sim pelo fato de que seria difícil proceder com as preparações para a corrida ficando dentro do quarto de hotel".

"Quando você olha para a preparação, estamos falando de um negócio grande, que envolve organizações importantes, e além de tudo, ainda há a logística e os desafios de um começo de temporada. Não seria possível ter todos operando em um arranjo estrito da quarentena".

Segundo Pakula, a combinação dos testes pré-viagem, com a vacinação mundial e a possibilidade de isolar o paddock em uma bolha podem significar que a quarentena de 14 dias não seja necessária em novembro. Mas que espera que, em 2022, o GP da Austrália volte a ocupar seu espaço como abertura da temporada.

"Isso não será para sempre. Mal podemos esperar para voltar a nosso espaço tradicional em 2022".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

GROSJEAN exibe pela PRIMEIRA VEZ mãos QUEIMADAS, CHOCA fãs e tem futuro INCERTO

PODCAST: Vettel, Alonso, Schumacher, eventos e mais: o que esperar da F1 em 2021?

 

Binotto defende que "não há arrependimento" da Ferrari por não contratar Hamilton

Artigo anterior

Binotto defende que "não há arrependimento" da Ferrari por não contratar Hamilton

Próximo artigo

Mercedes propõe renovar apenas por um ano com Hamilton, diz jornal

Mercedes propõe renovar apenas por um ano com Hamilton, diz jornal
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Redação Motorsport.com