Fórmula 1
25 mar
Próximo evento em
25 dias
06 mai
Próximo evento em
67 dias
20 mai
Próximo evento em
81 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
95 dias
10 jun
Próximo evento em
102 dias
24 jun
Próximo evento em
116 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
123 dias
R
GP da Grã-Bretanha
15 jul
Próximo evento em
137 dias
29 jul
Próximo evento em
151 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
179 dias
02 set
Próximo evento em
186 dias
09 set
Próximo evento em
193 dias
23 set
Próximo evento em
207 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
214 dias
07 out
Próximo evento em
221 dias
21 out
Próximo evento em
235 dias
28 out
Próximo evento em
242 dias
R
GP da Arábia Saudita
03 dez
Próximo evento em
278 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
287 dias

Red Bull e Ferrari analisam impacto dos novos protocolos de segurança nas atividades da F1

As equipes fizeram testes nessa semana e já usaram o tempo para se acostumar com os novos protocolos de segurança

compartilhar
comentários
Red Bull e Ferrari analisam impacto dos novos protocolos de segurança nas atividades da F1

As equipes estão se preparando para o início da temporada 2020 da Fórmula 1, que marcará o início de um "novo normal" da categoria, que terá que se ajustar aos novos protocolos de segurança devido à Covid-19.

Por isso as equipes estão usando os treinos das últimas semanas para treinar também esses novos protocolos, que incluem o distanciamento social, o uso de equipamentos de proteção como máscaras e escudos faciais, além da limitação do número de pessoas que poderão trabalhar simultaneamente nos carros.

Leia também:

Para o diretor esportivo da Ferrari, Laurent Mekies, a parte mais difícil dos novos protocolos será se ajustar a utilização constante das máscaras no paddock.

"De um modo básico, o maior desafio, especialmente para os caras na garagem, será o uso das máscaras o tempo todo", disse Mekies, quando perguntado pelo o Motorsport.com sobre as adaptações da equipe.

"Nós estamos começando a nos acostumar e está começando a virar algo normal na nossas vidas. Na Ferrari é obrigatório, então usamos o tempo todo na fábrica e no escritório".

"Mas é uma coisa usar em um ambiente de escritório e outra usar quando você está em uma pista com 40 graus. Muito respeito a socorristas e médicos que usam isso de modo regular em seus trabalhos".

Segundo Mekies, a Ferrari deu um auxílio aos funcionários como exercícios de respiração para ajudar a lidar com a vida de máscara. Além disso, as equipes na F1 terão bolhas entre si, sem contato com pessoas de outra equipes.

Um grande problema que as equipes vão enfrentar é a limitação de pessoas que poderão trabalhar simultaneamente no carro, o que pode aumentar o tempo necessário para cumprir tarefas.

"Vamos tentar criar um modo que não afete as operações, para que, caso seja necessário fazer uma troca rápida de motor, isso seja possível".

Alex Albon, Red Bull Racing talks with Red Bull Racing Team Manager Jonathan Wheatley

Alex Albon, Red Bull Racing talks with Red Bull Racing Team Manager Jonathan Wheatley

Photo by: Red Bull Content Pool

Albon: a adaptação foi "praticamente perfeita"

Por outro lado, o piloto da Red Bull Alex Albon disse que a adaptação aos novos protocolos da Covid-19 foi "praticamente perfeita". A equipe testou o novo ambiente na quinta-feira, durante uma gravação com o carro de 2020 em Silverstone.

Albon correu sozinho em Silverstone, já que Verstappen não conseguiu comparecer devido às normas de quarentena implementadas no Reino Unido. Como seria um treino limitado a 100 quilômetros, piloto e equipe julgaram que não faria tanta diferença.

"Obviamente é tudo novo para nós, e passamos muito tempo longe do carro. Então é bom voltar. Foi um dia para interagir com o pessoal e voltar à mentalidade das corridas antes de irmos para a Áustria".

Sobre os protocolos, ele disse: "O modo de trabalho não mudou tanto, obviamente que os caras na Red Bull fizeram o trabalho deles, então tudo correu de modo praticamente perfeito".

"Não tem muita diferença. Especialmente para um piloto. Nós estamos acostumados a estar de balaclava e capacete. A maior parte do nosso trabalho é feito assim, então não é tão ruim. A maior diferença é nas reuniões, quando você precisa ficar distante de todos".

O chefe da Red Bull, Christian Horner, disse que as preocupações com a segurança são maiores que qualquer problema com os protocolos.

"É certamente diferente, ver todos com máscaras - você não vê as expressões que pode interpretar como felicidade ou desespero, seja em um mecânico ou engenheiro".

"Mas acho que é algo que vamos nos acostumar. É importante para a segurança da equipe, e de todos ao nosso redor na F1, então é algo que vamos nos acostumar rapidamente, e algo que vai se tornar o novo normal por enquanto".

Raio-X de Hamilton: veja a metamorfose e as histórias inéditas do maior piloto da F1 na atualidade

PODCAST: F1 pronta para volta! Sérgio Sette Câmara explica como será protocolo detalhado

 

Giovinazzi comenta sobre a possibilidade de três GPs na Itália: "Seria muito legal, sou um grande apoiador"

Artigo anterior

Giovinazzi comenta sobre a possibilidade de três GPs na Itália: "Seria muito legal, sou um grande apoiador"

Próximo artigo

Wolff admite desafio com novo teto da F1: "Será muito difícil entender como escalar essa montanha"

Wolff admite desafio com novo teto da F1: "Será muito difícil entender como escalar essa montanha"
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Scuderia Ferrari
Autor Jonathan Noble