Fórmula 1
16 abr
Próximo evento em
22 Horas
:
01 Minutos
:
34 Segundos
R
GP de Portugal
30 abr
Próximo evento em
14 dias
06 mai
Próximo evento em
20 dias
R
GP do Azerbaijão
03 jun
Próximo evento em
48 dias
10 jun
Próximo evento em
55 dias
24 jun
Próximo evento em
69 dias
R
GP da Áustria
01 jul
Próximo evento em
76 dias
29 jul
Próximo evento em
104 dias
R
GP da Bélgica
26 ago
Próximo evento em
132 dias
02 set
Próximo evento em
139 dias
09 set
Próximo evento em
146 dias
23 set
Próximo evento em
160 dias
R
GP de Singapura
30 set
Próximo evento em
167 dias
07 out
Próximo evento em
174 dias
21 out
Próximo evento em
188 dias
28 out
Próximo evento em
195 dias
R
GP de Abu Dhabi
12 dez
Próximo evento em
240 dias
Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

A Mercedes sacrificou ritmo no GP de Abu Dhabi para explorar o dia de testes?

No final de uma temporada de Fórmula 1 dominada pela Mercedes com bastante conforto, a derrota para a Red Bull na final de Abu Dhabi gerou intrigas do ponto de vista técnico

A Mercedes sacrificou ritmo no GP de Abu Dhabi para explorar o dia de testes?

Embora o impacto da Mercedes desligando seus motores por razões de confiabilidade, e não tirando o melhor proveito dos pneus, tenha explicado muito - pode haver outro fator oculto em jogo para explicar o que aconteceu...

Leia também:

A queda no desempenho pode girar em torno de uma mentalidade com a qual a Mercedes vem operando há algum tempo: colocar seus ganhos de longo prazo no desenvolvimento futuro do carro sobre quaisquer necessidades competitivas de curto prazo. Sabemos que a Mercedes desligou o desenvolvimento de seu W11 bem cedo para focar em 2021; e é provável que essa abordagem estivesse em jogo em Abu Dhabi.

Com o dia de testes pós-temporada chegando, onde as equipes só podiam rodar estritamente com os carros nas mesmas especificações em que disputaram o GP de Abu Dhabi, a Mercedes rodou alguns componentes no fim de semana que eram mais voltados para o pós-fim de semana do que para a própria corrida?

Car of Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1

Car of Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1

Photo by: Giorgio Piola

É algo que a Mercedes já fez antes. Nos últimos dois anos, explorou a regra das mesmas especificações montando uma fileira de tubos pitot no assoalho (veja W09 acima de 2018), o que permitiu capturar dados durante o fim de semana da corrida e durante o teste que se seguiu.

Embora perfeito para o teste, significava que a equipe estava um pouco acima do peso para poder carregar os registradores adicionais necessários para armazenar os dados. A criação desse laboratório móvel inevitavelmente o levou a ficar ligeiramente paralisado durante o fim de semana de Abu Dhabi, mas depois permitiu que testasse e coletasse um enorme conjunto de dados que o ajudaria a melhorar o desempenho na temporada de 2020.

Tendo recuperado com sucesso o que precisava no final da última temporada, pode muito bem ser que a Mercedes tenha traçado um plano para dar um passo adiante no teste pós-corrida deste ano, instalando uma série de componentes no carro para que pudesse ter a sensação de como ele performa. Afinal, na próxima temporada teremos carros que têm uma quantidade significativa de transporte, então será a oportunidade perfeita para obter informações do mundo real que podem ser alimentadas diretamente de volta ao ciclo de simulação.

Mercedes F1 W11 anti-roll bar comparison

Mercedes F1 W11 anti-roll bar comparison

Photo by: Giorgio Piola

Apesar da dificuldade em tirar fotos de perto devido às restrições do protocolo do coronavírus, Giorgio Piola observou uma modificação na suspensão dianteira do W11 que foi instalada no carro durante todo o fim de semana.

Conforme mostrado na ilustração acima, uma mudança foi feita nos balancins de conexão da barra estabilizadora, que se afastam de uma forma que tem sido usada por várias temporadas, em favor de uma solução menor e mais leve.

O catalisador para esta mudança provavelmente terá a ver com as mudanças nos regulamentos e com a nova construção de pneus que será introduzida pela Pirelli para a próxima temporada. A diferença na construção não significa apenas que a forma da borracha é um pouco diferente, mas também altera a maneira como a temperatura interna do pneu aumenta e como você olha a plataforma do assoalho.

Mercedes AMG F1 W11 tyre check

Mercedes AMG F1 W11 tyre check

Photo by: Giorgio Piola

Curiosamente, a mudança na forma do pneu para 2021 pode forçar a Mercedes a fazer mais alterações em sua suspensão dianteira também, já que a extensão vertical que ela tem usado por vários anos coloca o braço da suspensão próximo à parede lateral do pneu.

Em preparação para isso, revestiu-se a extremidade do braço superior com uma capa de poliestireno para evitar danos ao testar os novos pneus. Isso também permite que a superfície seja raspada pelo pneu, dando uma indicação clara de quão próximo ele pode posicionar sua fúrcula antes de atingir a parede lateral do pneu.

Ao avaliar os pneus com a especificação de 2021 durante o TL2, as equipes foram obrigadas a completar um mínimo de dez voltas na borracha. No entanto, a dupla da Mercedes continuou, na esperança de capturar mais dados que pudessem ser usados na análise consecutiva dos dados do teste pós-corrida com os pneus de 2020.

Consumir seu tempo de preparação de fim de semana usual e escolher usar os novos elementos de suspensão internos pelo resto do fim de semana sugere que a equipe estava preparada para aceitar um desempenho de pneu abaixo do ideal, em favor do conjunto de dados extra que seria capaz de criar no teste pós-corrida.

Lewis Hamilton, Mercedes F1 W11

Lewis Hamilton, Mercedes F1 W11

Photo by: Glenn Dunbar / Motorsport Images

Enquanto isso, acredita-se que a equipe também instalou o layout experimental do radiador que foi brevemente testado no carro de Valtteri Bottas no GP de Sakhir, devido à mesma carroceria traseira e saída de resfriamento que foram selecionadas como usadas naquele teste. Entende-se que este novo layout foi projetado para funcionar em conjunto com a unidade de potência do próximo ano.

Portanto, para manter a confiabilidade, a equipe provavelmente foi forçada a correr com uma configuração de potência mais baixa do que normalmente faria. Isso foi talvez percebido pela dupla da Mercedes ter sido a mais lenta na no quesito velocidade máxima durante a corrida.

Mercedes W11 radiator detail

Mercedes W11 radiator detail

Photo by: Giorgio Piola

Nyck de Vries, Mercedes F1 W11

Nyck de Vries, Mercedes F1 W11

Photo by: Mark Sutton / Motorsport Images

Tendo interrompido o desenvolvimento no início deste ano para se concentrar nas mudanças iminentes para 2021 e 2022, a Mercedes pode não ter percebido os grandes avanços que a Red Bull deu nos estágios finais da temporada enquanto continuava a desenvolver o RB16.

Mas, com os planos da Mercedes para o final da temporada e o teste pós-corrida já em andamento há algum tempo, pode ter sido simplesmente o caso de aceitar alguma dor no curto prazo pelos inevitáveis ganhos a longo prazo.

'CAUSOS' de RICCIARDO com Marko e cia na palavra de Cesar Ramos, destaque da Ipiranga na Stock 2020

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: Quem brilhou e o que de melhor aconteceu na temporada 2020 da F1?

 

.

compartilhar
comentários
Após confirmação de Pérez, relembre todos os pilotos da Red Bull na F1

Artigo anterior

Após confirmação de Pérez, relembre todos os pilotos da Red Bull na F1

Próximo artigo

Relembre todos os 33 campeões mundiais da história da Fórmula 1

Relembre todos os 33 campeões mundiais da história da Fórmula 1
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Giorgio Piola