Fórmula 1
25 set
Corrida em
00 Horas
:
13 Minutos
:
52 Segundos
R
GP de Portugal
23 out
Próximo evento em
25 dias
04 dez
Próximo evento em
67 dias
R
GP de Abu Dhabi
11 dez
Próximo evento em
74 dias

Williams sugere que ritmo da Mercedes deixou todos pensando em partir para ‘cópias’ na Fórmula 1

compartilhar
comentários
Williams sugere que ritmo da Mercedes deixou todos pensando em partir para ‘cópias’ na Fórmula 1
Por:

Chefe de desempenho da equipe admitiu que o caminho da Racing Point poderia ser usado por mais equipes, se não fosse o congelamento dos carros

O ritmo de corrida “espantoso” da Mercedes na temporada de 2020 da Fórmula 1 poderia ter forçado alguns rivais a seguir o caminho da Racing Point e enfrentá-la se o desenvolvimento dos carros não estivessem congelados para 2021, avalia a rival Williams.

O passo à frente massivo dado pela Racing Point ao copiar o carro da Mercedes de 2019 causou controvérsia na categoria, com várias equipes preocupadas com a maneira que isso poderia deixar os times menores sentindo que não têm outra opção a não ser tornarem-se imitadores para se manterem competitivos.

Leia também:

A Racing Point enfatiza que operou dentro das regras, mas o projeto de seus dutos de freio está sujeito a uma decisão iminente da FIA após o protesto da Renault.

As regras de emergência de congelamento de chassi na F1 para o próximo ano, aliadas a um novo pacote de mudanças com o novo regulamento para 2022, significa que outras equipes não podem seguir a rota de cópia em curto prazo.

Entretanto, o chefe de desempenho do veículo da Williams, Dave Robson, é claro ao dizer que não importa o quão preocupadas estiveram as equipes sobre copiar outros projetos, o atual ritmo de corrida da Mercedes deixou todos precisando pensar em fazer uma cópia, caso seja permitido.

“Eu acho que potencialmente você precisaria”, disse Robson, questionado pelo Motosport.com sobre se seria necessário copiar a Mercedes.

"Acho que está claro que, há alguns anos, a Mercedes é o carro de destaque. Embora a Red Bull e a Ferrari às vezes tenham se destacado em certos circuitos, a Mercedes é um pacote que pode ir a qualquer lugar".

"Seja como for, é fenomenal e seu ritmo [na Hungria] foi apenas espantoso em comparação com o resto do grid".

“Quando você olha para a dura realidade disso e você olha o modo que a Racing Point foi capaz de fazê-lo, então acho que você deveria tentar seriamente. Se houver tanto tempo de volta para encontrar e essa é a maneira de encontrá-lo, acho que você teria que seguir esse caminho".

Robson afirmou que um dos principais obstáculos para qualquer equipamento que deseje copiar um rival é a necessidade de entender os conceitos por trás do carro.

"Sempre foi o caso de que copiar é uma parte importante do jogo que jogamos", disse ele. "A dificuldade é que esses carros são tão complicados que o que você realmente precisa para copiar é o conceito”.

“Então você pode tirar todas aquelas fotos, assistir todas as imagens de vídeo e entender como e por que a Mercedes funciona, assim você pode fazer isso funcionar sozinho”.

"Algumas partes do que ele faz são bastante óbvias em termos de suas escolhas nas alturas de condução e você pode ver algumas características principais das superfícies aerodinâmicas”.

"Se você pode copiar tudo isso, entender como eles funcionam e fazê-los funcionar em seu próprio carro, então jogo limpo. Eu não vejo nenhum problema com isso. Acho que isso faz parte do jogo e eles fizeram um trabalho excepcionalmente bom nisso”.

Com a Racing Point admitindo que se esforçou para colocar o conceito Mercedes em funcionamento, como inicialmente o testou no túnel de vento, Robson reconhece que também há o risco de copiar e não gerar resultados automaticamente.

"Talvez a Racing Point achasse que com grandes mudanças ocorrendo no que seria 2021, mas agora em 2022, eles poderiam se arriscar e financeiramente estavam estáveis, portanto, se sair pela culatra este ano, talvez não importasse", disse.

"Eu acho que é uma decisão incrivelmente difícil de tomar para mudar completamente seu conceito. Você precisa estar tão confiante que pode copiá-lo, entendê-lo e fazê-lo funcionar."

"É o conceito que você precisa. Você não pode simplesmente fotografá-lo e copiá-lo assim e esperar que funcione. É muito complicado para isso. Mas você teria que olhar seriamente para ele, dado o sucesso que eles tiveram com essa abordagem. Você teria que olhar muito, muito seriamente", completou.

TELEMETRIA: Barrichello relembra 20 anos da primeira vitória na F1

PODCAST: Bastidores do futuro do GP do Brasil e ambientes de F1 favoritos de Reginaldo Leme

 

F1: Vettel reafirma que não tem pressa para definir seu futuro

Artigo anterior

F1: Vettel reafirma que não tem pressa para definir seu futuro

Próximo artigo

F1: FIA manterá rigidez com limites de pista em Silverstone

F1: FIA manterá rigidez com limites de pista em Silverstone
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Mercedes , Williams , Racing Point
Autor Jonathan Noble