IndyCar
22 ago
-
24 ago
Evento encerrado
30 ago
-
01 set
Evento encerrado
20 set
-
22 set
Evento encerrado

Ericsson: consistência em carro da Indy é o meu “maior problema”

compartilhar
comentários
Ericsson: consistência em carro da Indy é o meu “maior problema”
Por:
10 de fev de 2019 17:49

Ex-piloto de Fórmula 1 diz que se manter forte em todos os setores em uma volta completa é onde ele mais precisa melhorar na Indy

Marcus Ericsson completou 47 voltas nos testes da Indy em Laguna Seca na sexta-feira. Seu giro mais rápido foi 1s1 de Max Chilton, que liderou a sessão. No entanto, ele ficou dentro de meio segundo do melhor companheiro de equipe da Schmidt Peterson, James Hinchcliffe.

Infelizmente, a validade dos tempos permanece em dúvida, devido às incertezas sobre os rivais que estavam experimentando o push-to-pass.

Ericsson ficou impressionado com Laguna Seca, seu primeiro encontro com uma pista norte-americana, exceto Sebring e, claro, do Circuito das Américas, em que ele competiu cinco vezes na Fórmula 1.

Ele disse ao Motorsport.com: “Eu não fiz sessões em nenhum simulador para trabalhar neste lugar, então é tudo novo para mim. E foi divertido, uma pista da velha guarda, áreas de escape de brita em todos os lugares, então você tem que se manter na pista.”

"Há muitas partes de alta velocidade que eu gosto. É uma boa pista.”

Ele, no entanto, criticou seus próprios esforços. Quando lhe perguntaram no que precisava para compensar o tempo perdido, ele respondeu: “É um pouco de tudo.”

“Para mim, o maior problema é a consistência. O carro da Indy é difícil de guiar, difícil se comparado com um carro de Fórmula 1 que é tão plantado no chão. Este carro se movimenta muito.”

“Então, meu maior desafio agora é entender e lidar com isso. Eu posso ir bem em duas ou três curvas e ser o pior nas próximos duas ou três. Então, na próxima volta, melhoro nas que tive dificuldade, mas perco tempo nas que fui bem.”

"Então, estou trabalhando com a equipe para melhorar essa consistência e me ajudar a melhorar a velocidade."

Nas quatro horas e meia de sessão na sexta-feira, os 21 pilotos tentaram uma variedade de linhas diferentes na saca-rolha, e Ericsson admitiu que não tinha certeza de ter encontrado o traçado mais rápido.

"Não, eu acho que não encontrei o melhor caminho", disse ele. “Na verdade, em uma das minhas melhores voltas até aquele momento, tentei uma linha diferente e simplesmente não funcionou. É complicado, porque o resto da pista está em um certo ritmo e então você chega à saca-rolhas e você tem que quase parar o carro antes de descer o morro. É uma curva divertida, mas é estranha, muito diferente do resto da pista.”

Marcus Ericsson, Arrow Schmidt Peterson Motorsports Honda

Marcus Ericsson, Arrow Schmidt Peterson Motorsports Honda

Photo by: IndyCar Series

Próximo artigo
Kimball anuncia participação na Indy 500 e parte do calendário de 2019

Artigo anterior

Kimball anuncia participação na Indy 500 e parte do calendário de 2019

Próximo artigo

Indy trabalha com Supercars para viabilizar retorno à Austrália

Indy trabalha com Supercars para viabilizar retorno à Austrália
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Pilotos Marcus Ericsson
Equipes Schmidt Peterson Motorsports
Autor David Malsher