Grosjean diz que costumava ser um “idiota como companheiro de equipe”

Francês declarou que quer manter bom relacionamento com Ed Jones na Indy

O ex-piloto de Fórmula 1 Romain Grosjean declarou que aprecia a atmosfera amigável da Indy. O francês foi claro sobre querer vencer seu novo companheiro de equipe, Ed Jones, mas disse que também quer manter um bom relacionamento com ele.

Depois de sua primeira corrida ao volante de um carro da Indy, Grosjean, que participará das 13 corridas de circuitos mistos e de rua da temporada junto à Dale Coyne, respondeu algumas perguntas da imprensa.

Leia também:

Questionado sobre sua adaptação ao ambiente mais descontraído da Indy, o francês foi positivo. 

“É legal. Já tive uma boa troca de ideias com o Sébastien Bourdais. Ele estava bem ao meu lado (nos boxes) então isso facilitou. Takuma Sato também veio”, disse.

“Vi alguns outros pilotos, como Simon Pagenaud nos pits. Ele estava guiando, eu o cumprimentei e ele me deu um sinal. De modo geral, está tudo indo bem nesse sentido.”

Grosjean também expandiu o relacionamento com seu companheiro de equipe Ed Jones, que guiará o carro da Dale Coyne de Vasser Sullivan.

"Nós nos damos bem também. Eu disse a ele que costumava ser um idiota como companheiro de equipe no passado. Mas agora eu tenho 35 anos e gostaria que nosso relacionamento fosse amigável”, relatou.

“Na pista você quer vencer todo mundo, não há dúvida disso. Mas, fora, acho que se pudermos ser amigos seria ótimo.”

“(A atmosfera em Indy) é muito diferente da que estou acostumada."

Quanto ao novo carro, o ex-piloto da Haas revelou que "só teve que se adaptar um pouco à (sua) nova posição de condução.”

"Mas muito rapidamente tudo se encaixou, o que foi bom.”

"Durante as primeiras voltas os músculos não estavam suficientemente aquecidos ou prontos para isso. No final foi melhor, o que é sempre um bom sinal... eu saberei exatamente como trabalhar fisicamente e como lidar com isso. “

“Também sei que fisicamente é a pista mais exigente do ano e é bom para começar. É uma referência. Mas sim, acho que posso afinar o meu treino.”

O novo piloto da Indy também comentou sobre o estado da sua mão direita, gravemente queimada durante o acidente no GP do Bahrein em novembro do ano passado.

"Não está perfeita", admitiu. "Há uma ‘lâmpada grande e bonita’ no meu polegar esquerdo que não é bonita de se ver, mas ao guiar foi bem. Não doeu. Tive cuidado em algumas curvas, mas de modo geral não doeu.”

No primeiro dia ao volante guiando um Indy, um erro matinal na curva 1 fez com que Grosjean perdesse tempo, o piloto se familiarizou com uma pista com mudanças de condições, uma vez que o termômetro subia até 35°C. O piloto atribuiu seu deslize à busca de limites.

“Assim que você testa, você tem que encontrar seu limite, foi o que eu fiz esta manhã na curva 1.”

"Não fiquei muito feliz com isso, mas aconteceu e entendi algo que podíamos fazer na F1, mas não necessariamente na Indy. Portanto, foi um bom processo de aprendizagem."

“Eu fui muito rápido. Na hora de frear também toquei no acelerador, que você faz nas (curvas) rápidas. Mas, como aqui o diferencial é o mecânico, isso fez mexer o carro, quando essa ação estabiliza na F1.”

Essa diferença está longe de ser a única com a elite do esporte a motor mundial. Ao contrário de muitas categorias, a Indy não utiliza o halo, por exemplo, mas o Aeroscreen. De qualquer forma, não foi difícil para Grosjean se ajustar.

"O Aeroscreen mantém um pouco do ar fora da cabine, por isso é quente. Mas os sistemas de ventilação no capacete e na cabine dianteira funcionam muito bem."

“Então eu acho muito físico. Guiar esses carros é difícil, de um jeito bem diferente da F1, onde você só luta contra as forças G. Lá você luta fisicamente contra o carro e seu peso. Mas isso não me incomoda, é até agradável”, finalizou.

HAAS 2021: Veja o carro 'RUSSO' da ESTREIA de SCHUMACHER em ano que time irá 'CUMPRIR TABELA' na F1

PODCAST: Como seria a transmissão dos sonhos da F1 no Brasil?

 

compartilhar
comentários
Pietro Fittipaldi volta à Indy e disputará ovais em 2021, dividindo carro com Grosjean

Artigo anterior

Pietro Fittipaldi volta à Indy e disputará ovais em 2021, dividindo carro com Grosjean

Próximo artigo

Veja trajetória de mulheres que fizeram história no automobilismo e perspectivas sobre futuro

Veja trajetória de mulheres que fizeram história no automobilismo e perspectivas sobre futuro
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria IndyCar
Pilotos Romain Grosjean
Autor David Malsher