Lorenzo insiste: "o campeonato não acabou"

Piloto da Yamaha confessa enormes dificuldades com moto, pneus e pista molhada, diz que precisa fazer algo para recuperar a confiança, mas que nada está perdido

Lorenzo insiste: "o campeonato não acabou"
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Carregar reprodutor de áudio

Jorge Lorenzo sofreu durante o final de semana da corrida da MotoGP na Alemanha. Teve dificuldades desde a classificação, sofreu três quedas e na prova não foi além de uma 15° colocação. Para piorar, ainda viu Marc Marquez vencer mais uma e ampliar a liderança na tabela de pontos.  

Com apenas sete pontos conquistados nas últimas três corridas, o atual campeão está agora 48 atrás de Marquez. Ainda assim, segue acreditando que a diferença pode ser tirada. 

"O campeonato não está terminado até que não tenhamos chances matemáticas de vencer. Tudo pode acontecer", disse ele.

"Vimos hoje Marc, que é muito forte e veloz em condições difíceis, bateu pela manhã no aquecimento. Ele teve sorte de não se machucar, não?" 

"Já vimos em outros campeonatos que mesmo um líder com uma grande vantagem  pode perder o título. Você tem de se manter positivo e ainda acreditar que é possível vencer", disse ele. 

"Mas primeiro nós temos de recuperar a confiança, recuperar os bons resultados que não temos agora. Foram três corridas muito ruins para a gente, em diferentes circunstâncias".  

"Tenho de fazer algo para melhorar"

Enquanto Lorenzo creditava o fraco 15 lugar também a uma estratégia equivocada, o espanhol admitiu não ter o ritmo com os pneus Michelin em pista molhada.

"Eu sinceramente preciso fazer alguma coisa com os pneus Michelin nessas condições", admitiu.

"Com o Bridgestone, às vezes eu podia lutar por vitória, por um quinto lugar, mas agora, com essa moto, com esses pneus e nessas condições de pista, eu sofro muito mais". 

"No warm-up eu estava horrível, quatro segundos mais lento do que o mais rápido. Na prova, melhorei minha velocidade, cerca de 1s, 1s5. Pude ficar perto do (Dani) Pedrosa no começo, com o Pol (Espargaro), mais ou menos por ali".  

"Mas quando secou, comecei a perder a frente. Os outros conseguiam manter o ritmo, eu não".  

"Espero que melhore. Espero fazer algo para melhorar minha confiança. Vejo que não está nada fácil para mim, com o modo como venho pilotando, para pegar confiança com esses pneus. Tenho de fazer alguma coisa". 

compartilhar
comentários
Troca de motos e estratégia perfeita; o domingo da MotoGP
Artigo anterior

Troca de motos e estratégia perfeita; o domingo da MotoGP

Próximo artigo

Moto com a qual Marquez venceu foi reconstruída em 2h

Moto com a qual Marquez venceu foi reconstruída em 2h
Carregar comentários