MotoGP
R
GP do Catar
25 mar
Próximo evento em
64 dias
R
GP da Argentina
08 abr
Próximo evento em
78 dias
R
GP das Américas
15 abr
Próximo evento em
85 dias
R
GP da Espanha
29 abr
Próximo evento em
99 dias
R
GP da França
13 mai
Próximo evento em
113 dias
R
GP da Itália
27 mai
Próximo evento em
127 dias
R
GP da Catalunha
03 jun
Próximo evento em
134 dias
R
GP da Alemanha
17 jun
Próximo evento em
148 dias
R
GP da Holanda
24 jun
Próximo evento em
155 dias
R
GP da Finlândia
08 jul
Próximo evento em
169 dias
R
GP da Áustria
12 ago
Próximo evento em
204 dias
R
GP da Grã-Bretanha
26 ago
Próximo evento em
218 dias
R
GP de Aragón
09 set
Próximo evento em
232 dias
R
GP de San Marino
16 set
Próximo evento em
239 dias
R
GP do Japão
30 set
Próximo evento em
253 dias
R
GP da Tailândia
07 out
Próximo evento em
260 dias
R
GP da Austrália
21 out
Próximo evento em
274 dias
R
GP da Malásia
28 out
Próximo evento em
281 dias
R
GP de Valência
11 nov
Próximo evento em
295 dias

Márquez: vetar um companheiro de equipe significa que estou com medo

compartilhar
comentários
Márquez: vetar um companheiro de equipe significa que estou com medo
Por:

O atual campeão da MotoGP diz que nunca vetou um nome para correr ao seu lado e desafiou os rivais a vencer com a Honda

Desde que chegou à MotoGP em 2013, Marc Márquez se tornou o piloto principal da Honda, e já é o piloto de maior sucesso na história da montadora. O espanhol, que já correu ao lado de grandes pilotos da categoria, disse que nunca chegou a vetar nomes que eram considerados pela Honda para correr ao seu lado.

A sua importância dentro da equipe é tamanha que, ao longo dos anos, ele foi praticamente o único a vencer guiando a RC213V. Em 2018 e 2019, seus companheiros de equipe Dani Pedrosa e Jorge Lorenzo não venceram e nem chegaram ao pódio, e encerraram suas carreiras na equipe.

Leia também:

Durante essas duas temporadas, o saldo geral obtido pela Honda com seus outros pilotos está longe do ideal, com apenas cinco pódios e uma vitória de Cal Crutchlow, que mostra o quão difícil é dominar a RC213V.

A Honda vê tanto Marc como seu futuro a ponto de anunciar o novo contrato de quatro anos com o piloto antes mesmo do fim do atual. 

No entanto, isso não impede a montadora de planejar o futuro do outro lado da garagem. Em 2020, Álex Márquez ocupará o lugar deixado por Jorge Lorenzo, enquanto Pol Espargaró deverá chegar em 2021. Um novo companheiro de equipe que poderia atrapalhar o #93, que, de fato, encontrará um de seus oponentes mais ferozes da Moto2.

Alguns dias antes do Motorsport.com divulgar a chegada de Espargaró, Márquez participou do podcast da Red Bull Espanha, onde respondeu se deveria deixar a Honda para destacar ainda mais seu valor como piloto.

Ele reiterou que não pretendia deixar a marca japonesa, e desafiou seus companheiros de grid a mostrar que são capazes de vencer com a RC213V.

"Eu sempre deixei algo muito claro", disse ele. "Há outras duas Hondas idênticas à minha: a de meu companheiro de equipe e a de Cal Crutchlow. No momento, me sinto feliz e as coisas estão indo bem".

"Se outro piloto acha que pode ganhar com essa moto, eu desafio a tentar. Só chegar na Honda e falar 'o aspecto financeiro não me interessa, eu acredito que posso ganhar com essa moto', e, no outro dia, a Honda te entrega a moto".

Márquez falou também sobre seus companheiros de equipe e reafirmou que nunca vetou um nome para correr ao seu lado.

"Durante toda a minha carreira esportiva, em nenhum momento vetei um companheiro de equipe, porque isso significaria que estou com medo. Eu tinha Dani Pedrosa, que era um grande campeão, eu corri com Jorge Lorenzo e, no futuro, nunca se sabe quem posso ter".

"Agora, tenho meu irmão, que é campeão da Moto2. Quero me sentir confortável onde estou. No momento, estou confortável e as coisas estão indo bem, então por que mudar? Não preciso de motivação extra".

Live com di Grassi: bastidores da F1, rivalidade com Nelsinho, F-E e Le Mans

PODCAST: Entrevista com Rubens Barrichello: os bastidores da carreira do recordista de provas da F1

 

Petrucci admite que gostaria de correr na KTM após perder lugar na Ducati

Artigo anterior

Petrucci admite que gostaria de correr na KTM após perder lugar na Ducati

Próximo artigo

MotoGP: Aprilia anuncia renovação do contrato de Aleix Espargaró por dois anos

MotoGP: Aprilia anuncia renovação do contrato de Aleix Espargaró por dois anos
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria MotoGP
Pilotos Marc Marquez
Equipes Repsol Honda Team
Autor Carlos Guil Iglesias