MotoGP: Alarme na moto levou à largada desastrosa de Márquez nos EUA

Hexacampeão disse que conseguiu fazer boa prova de recuperação apesar da moto não estar 100% ao longo da corrida

MotoGP: Alarme na moto levou à largada desastrosa de Márquez nos EUA
Carregar reprodutor de áudio

O hexacampeão da MotoGP Marc Márquez revelou que um alarme fez com que sua moto Honda ficasse "doida" no grid, levando à sua largada desastrosa no GP das Américas deste domingo (10), colocando-o no fundo do grid e levando a uma bela prova de recuperação, terminando em sexto.

Márquez voltou à ação neste fim de semana após mais um episódio de diplopia, que o tirou das corridas na Indonésia e na Argentina. Devido ao seu histórico vitorioso em Austin, ele era visto pelos rivais como o favorito à vitória, mesmo largando em nono.

Leia também:

Mas um problema técnico o fez cair rapidamente para último, quando sua Honda volto a funcionar normalmente. Márquez admitiu que achou que tinha ativado o limitador do pitlane, e disse que a moto ainda não estava 100% durante a corrida, mas que foi suficiente para a recuperação.

"Tivemos um problema técnico, mas a Honda está investigando. Eles já sabem mais ou menos, mas seguem olhando. Desde a minha chegada ao grid, vi alguns alarmes [no painel] e tentei sair, sem perder muito, mas a moto estava doida".

"Aí eu pensei que era algo grande, mas quando cheguei na primeira curva... da largada até a curva não havia força na moto, era como o limitador. Eu até chequei se era, mas não. O alarme seguiu durante a prova, mas para nossa sorte a moto passou a funcionar mais ou menos bem. Não era perfeito, porque algo ainda estava errado".

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Marc Marquez, Repsol Honda Team

Photo by: Gold and Goose / Motorsport Images

O espanhol acrescentou que seu GP virou uma "corrida sprint" a partir dali, mas seu corpo o impediu de ir além da sexta posição.

"Dei o meu melhor, e com cinco, seis voltas para o fim, meu corpo disse 'ok, é isso', e eu tentei terminar a prova e, mesmo assim, consegui terminar em uma boa posição. O resultado não foi o que esperávamos, mas se olharmos para a largada, posso dizer que construímos muita confiança neste fim de semana".

"Meu objetivo era construir confiança, tentar não cair, não cair de jeito nenhum no fim de semana, porque meu médio disse que tudo estava resolvido, mas ele estava preocupado pela minha saúde, devido ao impacto recente. Então tentei guiar bem e isso foi o mais importante".

Apesar de não conseguir a oitava vitória no Circuito das Américas em nove anos, Márquez disse que ainda está satisfeito com a corrida, especialmente por conseguir voltar a correr após o acidente.

"Estar aqui neste fim de semana já foi satisfatório e terminar em sexto também foi satisfatório. Se olharmos para a largada, é verdade que quando você parece estar no pior momento, tudo acontece. Nunca tivemos um problema técnico nesses anos todos, e hoje, quando eu mais precisava de ajuda, isso aconteceu".

"Mas isso é algo que acontece e eu segui. Quero agradecer a todos na equipe, porque eles me ajudaram muito, acreditaram em mim, me deram a confiança necessária, e isso é o mais importante".

Rádio revela superioridade de Leclerc no GP da Austrália com Ferrari

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST - PÓDIO: Leclerc passeia, Verstappen quebra e Russell é pódio na Austrália

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
MotoGP: Bastianini reassume liderança com segunda vitória no ano; veja como ficou o Mundial após o GP das Américas
Artigo anterior

MotoGP: Bastianini reassume liderança com segunda vitória no ano; veja como ficou o Mundial após o GP das Américas

Próximo artigo

Márquez está "um passo à frente" dos demais pilotos da MotoGP, diz chefe da Honda

Márquez está "um passo à frente" dos demais pilotos da MotoGP, diz chefe da Honda