Na contramão dos rivais, Iannone elogia pneus Michelin

Piloto da Ducati diz que tem se adaptado rapidamente aos compostos e exalta trabalho inicial da fabricante francesa

Na contramão dos rivais, Iannone elogia pneus Michelin
Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team
Andrea Iannone, Ducati Team

A Michelin, que volta a ser fotnecedora exclusiva da MotoGP a partir da próxima temporada, foi alvo de algumas críticas depois dos primeiros testes de pós-temporada. Alguns pilotos reclamaram da falta de aderência no pneu dianteiro quando comparado ao composto da Bridgestone, que deixou a categoria. 

Quem não tem reclamado é Andrea Iannone, piloto da Ducati. O italiano alega que a borracha francesa combina com o estilo de pilotagem dele e revela que se sentiu bem com os compostos logo no início dos trabalhos em Valência - quando ele foi o segundo mais veloz já no primeiro dia de trabalho.

“A moto vem melhorando passo a passo, assim como os pneus. Em Valência, tive uma primeira impressão muito boa dos Michelin e confirmei isso nos testes aqui. O pneu dianteiro passa uma boa sensação. Tivemos mais aderência na traseira aqui do que em Valência, mas são pistas diferentes, com asfaltos diferentes. É impossível ter a mesma sensação em cada pista", disse Iannone durante os testes privados em Jerez de La Frontera.

O piloto da Ducati também falou sobre a mudança no estilo de pilotagem que os pneus franceses exigem quando comparados aos compostos da Bridgestone, que era a fornecedora exclusiva da MotoGP desde 2009. “Sem dúvida o estilo de pilotagem é completamente diferente dos Bridgestone, mas isso é normal. Tenho focado em adaptar o meu estilo a este pneu", afirmou.

Além disso, o italiano elogiou os esforços da Michelin até o momento, destacando que a fabricante francesa esteve distante da categoria por tanto tempo e, mesmo assim, já apresenta bom rendimento.

“Creio que a Michelin tem feito um ótimo trabalho, pois eles voltam após muitos anos fora (da MotoGP). O nível do Bridgestone era muito alto, mas os tempos de volta com o Michelin já não é tão ruim", completou.

Iannone, que pilotou a Ducati de 2015 em Jerez, revelou ainda que o primeiro contato com a moto de 2016 será no primeiro teste oficial de pré-temporada em Sepang, em fevereiro. Honda e Yamaha já testaram as respectivas motos para o próximo ano, enquanto Suzuki e Aprilla ainda não estrearam as novas motos. 

compartilhar
comentários
Lorenzo: meu relacionamento com Rossi depende dele
Artigo anterior

Lorenzo: meu relacionamento com Rossi depende dele

Próximo artigo

Stoner volta à pista pela Ducati em janeiro

Stoner volta à pista pela Ducati em janeiro
Carregar comentários