Para Rossi, sequência de três corridas "não é melhor caminho"

Valentino Rossi afirma que não é a favor da sequência de três corridas em três finais de semana consecutivos que a MotoGP faz na reta final do campeonato, dizendo que é um "grande estresse"

Para Rossi, sequência de três corridas "não é melhor caminho"
Valentino Rossi e Jorge Lorenzo
Jorge Lorenzo, Yamaha Factory Racing
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Marc Marquez, Repsol Honda Team
Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing
Marc Marquez, Repsol Honda Team

A MotoGP entra, a partir do próximo final de semana, com o GP do Japão, em uma sequência de três corridas em três finais de semana seguidos. No dia 23 de outubro, a categoria realiza o GP da Austrália e, na semana seguinte, o GP da Malásia, no dia 30 de outubro.

A mesma sequência - três corridas seguidas e uma pausa de duas semanas antes da prova final, em Valência - permanece no calendário do próximo ano.

Quem não gosta muito de tal sequência é Valentino Rossi. Falando sobre o tema na coletiva de imprensa pré-GP do Japão, Rossi disse: "três corridas em sequência é algo sempre complicado, não é o melhor caminho", disse. 

"Se você enfrenta um pequeno problema na primeira, isso custa caro demais. Sinceramente, não gosto muito de três corridas em seguida, é um grande estresse", afirmou.

Por outro lado, você fica bastante tempo na moto, então pode ser cada vez mais veloz. E são três pistas fantásticas - gosto de Motegi, mas especialmente de Phillip Island e Sepang. É sempre um grande prazer pilotar uma moto da MotoGP nessas três pistas", acrescentou.

Já Jorge Lorenzo, companheiro de Rossi na Yamaha, preferiu focar no aspecto positivo da sequência. "É dura, mas gosto. Agrada-me ficar o máximo possível em cima da moto. Normalmente, quando você tem corridas próximas uma da outra, seus músculos estão mais preparados e você tem menos problemas. Devem ser três boas corridas", pontuou.

Para Marc Márquez, que pode até garantir o título em Motegi, ficar longe de problemas será a prioridade na sequência de três corridas. "É importante terminar todas as corridas, estar lá e manter a calma nos treinos livres, pois há o risco de queda. É preciso controlar o limite, pois há duas corridas logo na sequência", completou.

compartilhar
comentários
Em 100º GP, Viñales diz: "podemos ser competitivos"

Artigo anterior

Em 100º GP, Viñales diz: "podemos ser competitivos"

Próximo artigo

Barberá substitui Iannone em Motegi; Jones entra na Avintia

Barberá substitui Iannone em Motegi; Jones entra na Avintia
Carregar comentários