Rins visa repetir resultados de Viñales na Suzuki

Espanhol crê que performance de antigo rival seja alvo em novo ciclo da carreira dentro da MotoGP

Rins visa repetir resultados de Viñales na Suzuki
Alex Rins, Paginas Amarillas HP 40
Maverick Viñales, Team Suzuki Ecstar MotoGP
Alex Rins, Team Suzuki MotoGP, Karel Abraham, Aspar MotoGP Team
Alex Rins, Team Suzuki MotoGP
Alex Rins, Team Suzuki MotoGP
Alex Rins, Team Suzuki MotoGP
Alex Rins, Team Suzuki MotoGP
Carregar reprodutor de áudio

Novo piloto da Suzuki na MotoGP, Alex Rins diz que se pressiona para conseguir resultados como os de Maverick Viñales no time japonês. Rival de Rins pelo título de 2013 da Moto3, Viñales no próximo ano será piloto da Yamaha.

Já Rins, também vindo da Pons na Moto2, se vê com as mesmas condições de Viñales para andar bem na MotoGP em seu início, no próximo ano.

"Eu estou substituindo ele na Suzuki, e isso, quer você goste ou não, significa que eu tenho que tentar obter resultados melhores que os dele - que não foram ruins", disse Rins de Viñales.

"A pressão está aqui antes mesmo de começarmos, mas espero estar bem. Vai ser difícil, porque há mais eletrônica e muito mais coisas para se ter em mente em comparação com a Moto2.”

"Mas no final, toda vez que corremos junto com ele, lutamos na pista.”

"Não estou dizendo que vou fazer isso nas duas primeiras corridas, mas depois de mudar para a Yamaha ele se adaptou muito rapidamente e foi muito rápido em Valência e na Malásia. Então espero chegar rápido."

Transição difícil para Moto2

Rins se machucou em um acidente durante o segundo dia do teste pós-temporada em Valência e tem se recuperado deste então.

Até ao acidente, o piloto de 21 anos observou que a moto da MotoGP era muito mais física do que a que ele guiou nas duas últimas temporadas na Moto2.

"Passei um mês descansando em casa (após o acidente) e me sinto muito melhor, posso ter uma vida normal", disse Rins.

"Na última quinta-feira eu estava na moto para treinar, para ver como minhas costas estavam. Me senti ótimo.”

“A moto estava incrível, mas é verdade que ela exige muito mais preparação física do que eu estava acostumado. No primeiro dia (de teste) antes do almoço eu estava exausto. A mudança foi muito difícil.”

"Quando andei pela primeira vez em Valência no primeiro dia, foi só para ver como tudo funcionava.”

"Saí sem muita eletrônica e notei uma grande mudança em relação à Moto2."

compartilhar
comentários
Iannone responde críticas de Dovizioso: “não há amizade”
Artigo anterior

Iannone responde críticas de Dovizioso: “não há amizade”

Próximo artigo

MotoGP exibe compostos dos pilotos em tempo real em 2017

MotoGP exibe compostos dos pilotos em tempo real em 2017
Carregar comentários