Reações
MotoGP GP da Austrália

Rossi: "400 GPs não pesam quando se luta por vitórias"

Heptacampeão quebra recordes em meio a especulações sobre sua aposentadoria da MotoGP

Valentino Rossi, Yamaha Factory Racing

Valentino Rossi alcançará uma marca recorde neste fim de semana, na etapa da Austrália de MotoGP. O heptacampeão de 40 anos de idade chegará a 400 corridas na carreira (340 na categoria principal).

O editor recomenda:

O italiano, que já é dono do recorde de mais provas na carreira, foi o primeiro a bater a marca de 300 GPs e agora será o primeiro a atingir a quarta centena. Na MotoGP/500cc o italiano chega a sua 340ª prova.

O segundo piloto com mais largadas na MotoGP é o brasileiro Alexandre Barros, que acumulou 245 GPs ao longo da carreira. Quando se leva em conta as outras categorias, o segundo com mais largadas é Loris Capirossi, com 328.

Rossi afirmou que quando se luta por conquistas, não se sente o peso dos números. No entanto, o heptacampeão destacou que a falta de resultados pode mudar essa visão.

“400 são muitos GPs”, disse Rossi. “O que faz diferença para mim são os resultados. Quando luta por vitórias, por pódios, não se pensa em nada. Só faz isso quando se está em um período difícil como este.”

Quer ver Fórmula 2, Fórmula 3, Indy e Superbike de graça? Inscreva-se no DAZN e tenha acesso grátis por 30 dias a uma série de eventos esportivos. Cadastre-se agora clicando aqui.

Rossi não faz parte do futuro da Yamaha

O chefe da equipe Yamaha na MotoGP, Lin Jarvis, disse recentemente que não vê o heptacampeão como parte do futuro do time, apesar de admitir que Rossi pode ficar mais alguns anos com a fabricante antes de se aposentar. Dos sete títulos do italiano, quatro foram conquistados com a marca japonesa. Relembre a carreira dele na MotoGP:

1996 (125cc) - 9º no mundial (1 vitória), 111 pontos
1997 (125cc) - Campeão (11 vitórias), 321 pontos
1998 (250cc) - Vice-campeão (5 vitórias), 201 pontos
1998, GP de Imola (250cc)
1999 (250cc) - Campeão (9 vitórias), 309 pontos
1999, GP da Itália (250cc)
1999, GP de Imola (250cc)
2000 - Vice-campeão (2 vitórias), 209 pontos
2001 - Campeão (11 vitórias), 325 pontos
2001, GP da Itália
2002 - Campeão (11 vitórias), 355 pontos
2003 - Campeão (9 vitórias), 357 pontos
2003, GP de Valência
2004 - Campeão (9 vitórias), 304 pontos
2005 - Campeão (11 vitórias), 367 pontos
2005, GP dos EUA
2005, GP de Valência
2006 - Vice-campeão (5 vitórias), 247 pontos
2007 - 3º no mundial (4 vitórias), 241 pontos
2007, GP da Holanda
2007, GP da Austrália
2008 - Campeão (9 vitórias), 373 pontos
2008, GP da Catalunha
2009 - Campeão (6 vitórias), 306 pontos
2009, GP de Portugal
2010 - 3º no mundial (2 vitórias), 233 pontos
2010, GP dos EUA e de Indianápolis
2011 - 7º no mundial (0 vitórias), 139 pontos
2012 - 6º no mundial (0 vitórias), 163 pontos
2013 - 4º no mundial (1 vitória), 237 pontos
2014 - Vice-campeão (2 vitórias), 295 pontos
2015 - Vice-campeão (4 vitórias), 325 pontos
2016 - Vice-campeão (2 vitórias), 249 pontos
2017 - 5º no mundial (1 vitória), 208 pontos
2018 - 3º no mundial (0 vitórias), 198 pontos
2019 - 6º no mundial (em andamento)
36

Siga o Motorsport.com Brasil no Twitter, Facebook, Instagram e Youtube.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior MotoGP: Viñales é opção para a Ducati para a temporada 2021
Próximo artigo Binder substituirá Zarco na KTM em 2020; Tech3 contrata Lecuona

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil