Porsche Cup Interlagos - Endurance

Porsche Cup: Poles da Challenge em Interlagos, Tomasoni celebra rápida adaptação de Campos ao 991

Piloto que divide o carro #5 com o líder da Challenge no torneio Sprint teve seu primeiro contato com o 991.2 nesta semana

Marcelo Tomasoni e Gerson Campos

Marcelo Tomasoni e Gerson Campos têm vários motivos para comemorar o resultado da classificação da Porsche Cup. A dupla do carro #5 não somente conseguiu a pole entre os pilotos da Sprint Challenge, inclusive superando duplas da Carrera Cup no grid de largada, como também confirmou um rápido processo de aprendizado de Campos com o 991.2.

Campos, que corre hoje pela NASCAR Brasil, teve seu primeiro contato com o Porsche nesta semana, e rapidamente mostrou uma evolução, fazendo o quinto melhor tempo em seu grupo e, na média com a marca de Tomasoni, os dois garantiram a pole da prova deste sábado (13).

Leia também:

O piloto destacou a sensação de estar correndo na Porsche Cup e falou sobre a “escola” que viveu nos últimos dias.

“É incrível estar aqui no meio de tantas feras, ex-pilotos de F1, com enorme história no automobilismo, então esse mix que a categoria proporciona é incrível para quem é fã. E é um privilégio poder acelerar aqui”.

“Eu cheguei sem conhecer quase nada, então cada dia foi uma escola. O Tomasoni é um cara muito bom, trabalhador, que mexe com dados, carro, calibragem, isso foi fundamental para que eu pudesse entender”.

Para Tomasoni, a garantia de evolução de Campos é até mais importante que a celebração da pole, ressaltando a importância do companheiro estar confortável com o carro para os 300km do sábado.

“Sabe o que foi mais importante? O Gerson nunca havia andado de Porsche, então foram dois dias muito focados nele buscando a evolução. Por mais que ele tenha uma experiência no automobilismo, ele nunca havia andando de Porsche, então treinamos coisas como frenagem, que no 991 é um pouco mais chato. Então essa confiança que a gente ganhou para amanhã é o mais importante”.

Campos traçou uma comparação entre um ponto fundamental entre os carros da Porsche e da NASCAR: a frenagem.

“O carro não é fácil, porque ele é rápido, mas é extremamente preciso. Então ele te permite fazer os testes e já ter as respostas. Por exemplo, esse carro exige uma frenagem extremamente forte, então quando eu cheguei tive dificuldade, porque é diferente do carro da NASCAR Brasil. Esse foi o meu maior aprendizado”.

Segundo Tomasoni, a mudança climática e a melhor na condição da pista entre a quinta e a sexta ajudaram na performance do carro.

“Nós achamos um bom ajuste. Ontem o carro estava muito ruim. A pista foi melhorando muito hoje, inclusive de um grupo para o outro. Hoje mudamos tudo para a classificação e as coisas encaixaram. Isso aumenta a confiança”.

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Porsche Cup: Müller e Elias destacam papel do frio na pole dos 300km de Interlagos
Próximo artigo Segundo em Interlagos, Neugebauer faz balanço sobre evolução na Porsche Cup ao completar 100 corridas

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil