Conteúdo especial
Stock Car Cascavel

Do inchaço no hospital ao cochilo de Rubinho sobre seu ombro: Dudu Barrichello 'abre o jogo' após primeira vitória na Stock Car

Eduardo também cita 'corrida contra o tempo' para deixar carro pronto para Cascavel após batida em Tarumã, além de destacar prova 1 e irmão Fefo Barrichello

No último domingo, a Stock Car Pro Series viu a coroação de um novo vencedor em sua história, quando Eduardo Barrichello triunfou com a equipe Full Time Sports depois de fazer funcionar uma grande estratégia para subir no lugar mais alto do pódio na segunda corrida de Cascavel (PR).

O editor recomenda:

Tudo isso na presença do pai Rubens Barrichello, que 'assistiu de camarote' à vitória do filho mais velho após abandonar aquela prova em função de incidente. Resultado ruim para o atual campeão, mas Rubinho teve uma glória ainda maior ao ver Dudu celebrar depois de um mês muito difícil.

"Essas últimas 24 horas têm sido muito corridas para mim, graças a Deus. Meu último mês foi muito complicado. Para quem não sabe, mais ou menos um mês atrás eu tive um acidente em Tarumã (veja abaixo), onde o meu acelerador ficou preso. Eu virei 'passageiro', então meu carro deu perda total, quebrou tudo... Saí ok do carro, mas depois de algum tempo eu comecei a sentir muitas dores. Tive quatro pedras no rim, elas eram muito grandes", relatou Eduardo ao Motorsport.com.

Dudu Barrichello sai do carro após batida em Tarumã

Dudu Barrichello sai do carro após batida em Tarumã

Photo by: Carsten Horst

"Tive que fazer cirurgia para retirá-las, tive contratempos lá no hospital e tive que ficar uma semana internado, a gente não sabia se ia dar tempo de poder estar em Cascavel para correr... Então, poder largar a corrida de Cascavel já foi uma benção muito grande que eu tive, né? Especialmente depois da dificuldade para chegar lá, né? Até de logística, os aeroportos estavam fechados, então a gente teve que pegar 10 horas de carro. Mas, perto dos problemas que tive, foi 'fichinha'."

"Foi muito bom poder largar, eu estava muito grato de poder estar no grid, mesmo com o quali muito abaixo do que a gente esperava, Eu estava muito feliz de poder estar largando na corrida, realmente, e poder sair de Cascavel com o troféu foi sensacional. Foi complicado, mas agora, com o troféu aqui do meu lado, olhando pra trás, foi uma história [boa], né? Pô, história super legal na minha visão. E é isso, cara, foi complicado... Minha preparação na verdade foi muito pequena."

"Isso porque eu estava mais preocupado em sair do hospital logo, mais até do que ir pra Cascavel direto. Tive algumas horas pra dar umas voltas no simulador e foi só isso. Eu estava muito... perdi bastante massa, então teoricamente era para eu ficar mais magro, mas, por conta de tanto remédio, eu estava uns 4 quilos acima do meu peso normal, de inchaço mesmo. Então, minha expectativa era muito baixa, né?", admitiu Dudu, que também é companheiro de Rubinho na equipe Full Time.

Rubens Barrichello abraça Dudu após batida do jovem piloto em Tarumã

Rubens Barrichello abraça Dudu após batida do jovem piloto em Tarumã

Photo by: Duda Bairros

"Porque como é que eu vou esperar [algo] num fim de semana de Stock Car no qual estou super mal preparado mentalmente, fisicamente, tudo... Era um fim de semana que tinha tudo pra dar errado, né? O carro ficou pronto em cima da hora pra poder ir pro caminhão, enfim... Muitas coisas ficaram  [prontas] em cima da hora. É engraçado, irônico, porque é um fim de semana que tinha tudo pra dar errado e deu tudo muito certo. Talvez tenha sido o pico da minha vida, não só da minha carreira." 

"Eu entrava no carro, zero incômodo, zero dor... Acho que o carro em si é meu melhor medicamento. Provei isso pra mim mesmo esse fim de semana, não passei nenhum tipo de dor, tudo certo. Dentro do carro era eu mesmo, em hipótese alguma eu estava 'fora de performance', fora de preparo. Não cansei, eu estava tudo normal. Mas acho que isso foi muito por parte da cabeça: eu estava muito feliz de poder estar no fim de semana, mesmo. Foi um dos fins de semana que mais aproveitei".

"Não estava só focado no resultado, mas focado em aproveitar, continuar trabalhando por mim mesmo, por causa de tudo que eu havia passado. Foi um fim de semana diferente, atípico. Mesmo se não tivesse a vitória, teria sido diferente dos outros", seguiu Eduardo antes de analisar a prova.

Cacá Bueno, Dudu Barrichello e Rafael Suzuki

Cacá Bueno, Dudu Barrichello e Rafael Suzuki

Photo by: Duda Bairros

"Foi uma corrida muito iluminada. Recebi as minhas onboards e estava analisando, porque tem muito erro que eu ainda cometo dentro do carro. É lógico que comparado a Goiânia (estreia de Dudu na Stock em tempo integral, no começo de 2023), já melhorou muito, eu já acalmei muito, tem muitas coisas que eu já sei fazer que antes eu não sabia. Mas, lógico: eu estou chegando ainda, né? Então tem muitas coisas que, olhando de fora, eu falo: 'Nossa, eu poderia ter feito isso muito melhor'."

"Algumas decisões de corrida... 'Putz, deixei de economizar combustível numa hora que dava', ou 'Usei push no lugar errado', enfim, tem algumas coisas que ainda posso melhorar. Mas, como disse, essa corrida foi muito iluminada, todas as decisões deram muito certo, a largada foi boa, consegui umas ultrapassagens, tive que usar bastante agressividade no início... Mas, na hora do safety car, eu estava muito perto da linha (de boxes) e o [Eduardo] Bassani, meu engenheiro, falou no rádio...".

"Ele disse: 'box, box!'. É por isso que você precisa confiar tanto na equipe, porque, querendo ou não, é sua vida que está em jogo dentro do carro. Confio muito na minha equipe e assim que o Edu falou o primeiro 'box', já guinei pra dentro, já entrei na canaleta. Foi o que decidiu minha corrida, porque eu consegui ir pra dentro e, na hora que saí do box, vi que eu era terceiro. Então falei: 'Putz, isso aqui pode ser uma corrida boa'. Porque saí em terceiro, sabia que a gente chegaria no pelotão da frente".

"Eu sabia que a gente ia ir pra frente, mas não imaginava que a gente ia ganhar e nem subir no pódio... Mas eu ia batalhar até o final de qualquer jeito", continuou Dudu, que também destacou como seu desempenho na primeira prova contribuiu para a vitória na segunda disputa no Paraná.

Dudu Barrichello e Rubens Barrichello

Dudu Barrichello e Rubens Barrichello

Photo by: Marcelo Machado de Melo

"Na verdade, na minha opinião, a primeira corrida foi melhor que a segunda... ganhei a segunda na primeira. Eu havia conquistado umas posições e principalmente em Cascavel isso faz muita diferença porque é uma pista muito de alta, difícil conseguir uma ultrapassagem. Então, as ultrapassagens que consegui fazer na primeira volta (da corrida 1) me facilitaram muito a vida e a estratégia, porque desde aquele momento estava economizando pneu, gasolina... Eu já estava construindo a corrida 2".

"Consegui cruzar em 13º, minha primeira corrida foi muito boa. Fiquei bastante contente com as decisões que foram feitas, com a parada de box, com a estratégia, enfim. Acho que tudo foi muito bom na primeira corrida. E é o que eu falei: na minha opinião, ganhei a segunda corrida na primeira."

De todo modo, mesmo com a felicidade pela primeira glória na Stock, Dudu já foca nas próximas etapas, ainda que tenha comemorado com o pai e os amigos. "Na hora que a gente volta pra São Paulo, a gente volta a ser pessoa normal e volta a viver normal... meu pai dormiu no meu ombro no avião igual sempre faz, a gente chegou e meus amigos foram me buscar no aeroporto de surpresa, o que foi super legal. Voltei pra casa e dei um beijo na minha mãe, que era tudo que eu queria", disse.

"Queria muito também ter dado um beijo no meu irmão (Fefo Barrichello, que corre de Fórmula 4), mas ele está na Europa. Então, a gente ligou o FaceTime e ficamos todos juntos, com meus amigos. A gente pediu uma pizza, fez o que mais gosta, jogando sinuca até madrugada... porque é isso que a gente faz, que sempre fez. Meu pai sempre tentou me deixar preparado, inclusive a gente sentou pra conversar, pra me dar parabéns, mas que é isso, vida que segue, não acabou ali, tenho de continuar".

"É meu trabalho, graças a Deus é a minha profissão, então eu tenho que continuar entregando para os meus patrocinadores, aqueles que acreditam em mim. É isso, o foco já está em Interlagos, eu dei umas 200 voltas de Stock [no simulador] em Interlagos já. Fazia muito tempo que eu não subia no pódio e eu lembrei o quão viciante isso é. Então eu estou muito motivado para poder subir de novo o quanto antes. Vou trabalhar muito forte e tenho que estar com o físico melhor", completou Dudu.

Dudu, Rubens e Fefo Barrichello em Interlagos

Dudu, Rubens e Fefo Barrichello em Interlagos

Photo by: Luca Bassani

Rico Penteado abre o jogo sobre Michael Schumacher

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com - Mercedes, Aston ou Ferrari: quem termina a F1 23 como 2ª força?

 
 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Barrichello: uma das poucas famílias que venceram na Stock Car
Próximo artigo Podcast #235 - Senna x Verstappen: discussão sobre quem é melhor já pode ser iniciada?

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil