Fórmula 1
R
GP de Eifel
09 out
Próximo evento em
18 dias
R
GP de Portugal
23 out
Próximo evento em
32 dias
04 dez
Próximo evento em
74 dias
R
GP de Abu Dhabi
11 dez
Próximo evento em
81 dias
Análise técnica de Giorgio Piola
Assunto

Análise técnica de Giorgio Piola

Análise técnica: buscando melhor performance no GP da Estíria, Ferrari apresenta nova asa dianteira

compartilhar
comentários
Análise técnica: buscando melhor performance no GP da Estíria, Ferrari apresenta nova asa dianteira
Por:
Co-autor: Giorgio Piola, Especialista

A Ferrari adiantou parte das atualizações programadas para o GP da Hungria e trouxe uma nova asa dianteira para o GP da Estíria

Depois de uma performance difícil durante o GP da Áustria de Fórmula 1, a Ferrari resolveu adiantar a introdução de algumas novidades que eram previstas apenas para o GP da Hungria. Para o GP da Estíria deste final de semana, a equipe trouxe uma nova asa dianteira entre as atualizações.

Após uma pré-temporada bem abaixo do esperado, a falta de performance da Ferrari se repetiu no Red Bull Ring, com Charles Leclerc sendo o único da dupla a passar para o Q3, com Sebastian Vettel ficando no Q2.

Leia também:

Apesar de Leclerc terminar em segundo na prova, o melhor tempo da Ferrari foi 0s9 mais alto que o tempo da pole do monegasco em 2019.

A equipe planejava uma série de atualizações apenas para a Hungria, como forma de dar a volta por cima em termos de performance. Mas após o fiasco na Áustria, a Ferrari acelerou o desenvolvimento da nova asa dianteira para estrear já na Estíria, como mostram as imagens de Giorgio Piola.

A Ferrari, que foi pioneira na introdução de um túnel mais quadrado na placa de baixo no ano passado, voltou a apresentar um formato mais redondo para esta prova. No entanto, isso se neutraliza à medida que o ar avança para trás, liberando mais cedo o fluxo de ar rotativo produzido pelo túnel.

A Ferrari achatou essa seção traseira ainda mais na nova versão da asa, permitindo que a barbatana colocada na parte superior da placa em pé tivesse um tamanho maior. O "lábio" na bora traseira permanece igual para acondicionar o fluxo de ar para cima e para fora.

Também parece haver mudanças detalhadas na inclinação dos elementos da asa dianteira, porque a Ferrari procura também rever os problemas do SF1000 em curvas mais lentas, como mostrado abaixo. 

Front wings of Charles Leclerc, Ferrari SF1000

Front wings of Charles Leclerc, Ferrari SF1000

Photo by: Giorgio Piola

Em comparação com o design antigo (asa inferior na foto acima), os elementos do novo design (asa superior na foto) têm uma transição mais gradual para a placa final, com uma quantidade reduzida de torção.

Uma continuação da filosofia de uma aerodinâmica carregada, onde a Ferrari pretende gerar a maior parte do downforce na frente com a parte interna da asa, a seção externa pode ser modelada para incentivar o ar a passar pelas rodas dianteiras.

O novo design parece ser uma tentativa de mudar a maneira como o fluxo de ar muda para o lado exterior.

A Ferrari testará suas novas peças aerodinâmicas nos treinos de sexta-feira para determinar elas serão um passo adiante na atualização das asas usadas no início da temporada. 

Front wings of Charles Leclerc, Ferrari SF1000

Front wings of Charles Leclerc, Ferrari SF1000

Photo by: Giorgio Piola

TELEMETRIA: A volta de Alonso à F1 e o GP da Estíria com Rico Penteado

PODCAST #057: O início da F1 na Áustria com a participação de Felipe Drugovich

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Chefe da Renault acredita que F1 verá um "novo" Alonso e afirma que manterá contato com Briatore

Artigo anterior

Chefe da Renault acredita que F1 verá um "novo" Alonso e afirma que manterá contato com Briatore

Próximo artigo

Vettel confirma que teve conversas com Renault e diz que aceitaria vaga na Red Bull se tiver oportunidade

Vettel confirma que teve conversas com Renault e diz que aceitaria vaga na Red Bull se tiver oportunidade
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Scuderia Ferrari
Autor Jake Boxall-Legge