Chefe da Williams vê equipes com influência exagerada na F1

Pat Symonds acredita que um órgão independente poderia colocar fim a impasses na categoria

Chefe da Williams vê equipes com influência exagerada na F1
Pat Symonds, Diretor Técnico da Williams
Christian Horner, Red Bull Racing Team Principal in the Press Conference
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 Team W07 at the start of the race
Carregar reprodutor de áudio

O chefe técnico da Williams, Pat Symonds, acha que é inevitável a Fórmula 1 se encontrar presa em discussões sobre as suas regras porque as equipes têm muita influência.

Depois de uma introdução caótica e, em seguida, no fracasso para se livrar de qualificação no sistema de eliminação, a F1 está caminhando para um fim de semana no Bahrein em que sua estrutura de governança ficará nos holofotes.

Symonds acredita que até o dia em que existir uma autoridade independente com poder para decidir os regulamentos, a F1 sempre vai enfrentar dificuldades.

Falando recentemente sobre como a F1 poderia evitar problemas como a introdução de qualificação eliminação, Symonds disse: "Eu acho que você deve perguntar à Fórmula 1, em vez de solicitar às equipes. Parte do problema é que as equipes estão envolvidas um pouco demais"

"A maneira que eu expliquei isso para alguns patrocinadores era que, se fosse no futebol, você diria: 'certo, precisamos de alguns novos regulamentos, vamos solicitar às equipes'. Se você tem uma equipe com um goleiro muito, muito porcaria, você diz: 'quão grande devemos fazer as metas?', e eles vão dizer: 'vamos fazê-las mais estreitas'."

"Você tem uma outra equipe com um goleiro top, eles vão dizer 'bem, vamos fazê-la mais ampla'" As equipes não são as pessoas para serem ouvidas"

"Se tivéssemos uma direção sólida, nós, como equipes, apenas seguiríamos"

Órgão independente

O chefe da Red Bull, Christian Horner, no ano passado pediu para que um profissional independente, como Ross Brawn, fosse nomeado para ajudar a dar à F1 uma direção melhor.

Symonds concorda que uma autoridade sem nenhuma ligação com equipes - por isso não influenciada por auto-interesse - seria a melhor opção para ajudar a melhorar a F1.

"Não é um corpo real que está olhando para ele, mas um órgão independente que está olhando para o que é necessário", explicou.

"Mas não devemos apenas dizer que tudo está errado. Neste processo de governança que temos, embora eu esteja dizendo que não deve envolver tanto as equipes, estamos fazendo na maior parte das vezes desde que estou envolvido com a F1"

"Não é necessariamente terrível. Mas como o esporte se torna mais profissional, você tem opiniões cada vez mais polarizadas".

"Há algumas equipes que têm enorme quantidade de dinheiro, elas querem governar de uma determinada maneira. Há outras equipes que mal existem, elas querem regras diferentes. Os mais fortes vencem".

"Se você tiver alguém que não estiver defendendo uma equipe, você pode obter algo melhor."

compartilhar
comentários
Davidson crê que F1 dê tiro no pé ao falar mal de si mesma
Artigo anterior

Davidson crê que F1 dê tiro no pé ao falar mal de si mesma

Próximo artigo

Nasr espera usar raízes árabes a seu favor no Bahrein

Nasr espera usar raízes árabes a seu favor no Bahrein
Carregar comentários