Domenicali pede que equipes da F1 apoiem pedido da Red Bull por congelamento de motores

Segundo o novo CEO da F1, o congelamento seria algo bom para toda a F1 e não beneficiaria apenas a Red Bull

Domenicali pede que equipes da F1 apoiem pedido da Red Bull por congelamento de motores

A Red Bull segue aguardado um posicionamento da FIA com relação ao congelamento dos motores a partir de 2022 para poder assumir o programa de desenvolvimento da Honda, tornando-se a própria fornecedora. E o CEO da Fórmula 1, Stefano Domenicali, pediu para que as equipes apoiassem o pedido da RBR, algo que ele vê como benéfico para o esporte.

A equipe austríaca coloca o congelamento como necessário para assumir o programa da Honda, já que não teria verba para manter o desenvolvimento ao longo dos anos e acabaria ficando para trás em comparação com as rivais Mercedes, Ferrari e Renault.

Leia também:

Enquanto Mercedes e Ferrari já haviam sinalizado apoio ao pedido, a Renault vinha se mostrando muito reticente, já que pretende introduzir uma nova unidade de potência no início de 2022. A decisão sobre a atualização foi tomada após a Red Bull rejeitar um pedido anterior de congelamento da montadora francesa.

O tópico do congelamento será discutido na reunião da Comissão da Fórmula 1 marcada para a próxima quinta-feira, dia 11. O resultado da votação pode ser fundamental nos planos da Red Bull de permanência a longo prazo no esporte. Recentemente, Helmut Marko colocou o congelamento como obrigatório também para a permanência na equipe no grid.

Domenicali, que assumiu o cargo de CEO da F1 no lugar de Chase Carey, está ansioso para conseguir com que o congelamento seja aprovado.

Ele acredita que isso seria bom para todas as equipes, garantindo uma redução de gastos em um momento importante para a F1, que se prepara para o novo regulamento de motores que deve ser introduzido em 2025.

"Certamente antecipar o congelamento dos motores é algo importante. Mas não quero dizer que isso é importante apenas pela Red Bull. É bom para toda a F1, porque, como vocês sabem, o congelamento seria introduzido em 2023 de qualquer jeito".

"Queremos antecipar isso para reduzir gastos e garantir que as montadoras e equipes possam investir no novo motor. E isso é visto como prioridade para muitas montadoras".

As fornecedoras de motores já vinham se mexendo para tentar mudar o regulamento e garantir o congelamento em 2022, e Domenicali está otimista que isso tenha apoio das equipes.

"As discussões estão evoluindo na direção correta. Não quero antecipar nada, mas estou confiante que todos irão entender a importância disso acontecer".

"Isso é algo que estará no centro das discussões na reunião. E torço para que todos percebam que essa é a melhor escolha, não apenas para a Red Bull, mas para toda a F1".

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

ENTENDA por que motores são o CAMPO DE GUERRA da F1 para 2021 e 2022

PODCAST: Bottas reagirá na Mercedes? Como compará-lo a Barrichello, Webber e cia?

 

compartilhar
comentários
F1 considera realizar rodada dupla no Bahrein se pandemia impedir GP em Portugal

Artigo anterior

F1 considera realizar rodada dupla no Bahrein se pandemia impedir GP em Portugal

Próximo artigo

Após desistência da Globo, Band encaminha transmissão da F1 no Brasil

Após desistência da Globo, Band encaminha transmissão da F1 no Brasil
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes Red Bull Racing
Autor Jonathan Noble