Alpine cobra FIA por mais vigilância para evitar ‘cópias’ na F1 em 2022

Marcin Budkowski se diz preocupado com o tipo de colaboração entre equipes de fábrica e clientes

Alpine cobra FIA por mais vigilância para evitar ‘cópias’ na F1 em 2022

O diretor executivo da Alpine na Fórmula 1, Marcin Budkowski, disse que sua equipe espera que a FIA "supere" as equipes rivais colaborando em seus projetos de 2022 carros.

Na última temporada, a Racing Point causou polêmica quando chegou aos testes de inverno em Barcelona com um carro que se parecia muito com o da Mercedes de 2019.

Leia também:

Seus rivais de meio de grid ficaram alarmados com o design do RP20, com a Alpine - então chamada de Renault - liderando a investida contra a equipe de Silverstone, ao entrar com protestos após os GPs da Estíria, Hungria e Grã-Bretanha, argumentando que os dutos de freio traseiros da Racing Point foram copiados ilegalmente da Mercedes.

O protesto foi mantido, e a Racing Point perdeu 15 pontos no campeonato de construtores e multou o time em 400.000 euros.

Na esteira da controvérsia da Racing Point, a Fórmula 1 endureceu suas regras de engenharia reversa, banindo o uso de câmeras 3D e sistemas complexos de software para copiar designs rivais.

Mas a Alpine pediu à FIA que permaneça vigilante antes das grandes mudanças no regulamento de 2022, que fornecem muito espaço para as equipes se beneficiarem da colaboração com suas equipes parceiras.

"Claramente, indo para 2022, uma grande mudança nos regulamentos, muito desempenho sendo obtido com esses carros, um novo conjunto de regulamentações muito verde, os benefícios que você pode obter com a colaboração, são enormes", disse Budkowski.

"E se há um ano em que esse tipo de colaboração pode valer a pena, é este ano, para 2022.”

"Então, claramente, se há um ano em que esperamos que a FIA esteja realmente envolvida, é este ano."

Quando perguntado se ele estava preocupado com a possibilidade de uma repetição da saga da Racing Point ou se ele acreditava que a FIA agora estava policiando o assunto suficientemente, Budkowski disse que era uma "questão difícil", mas admitiu que havia alguma preocupação.

"Não sei o que está acontecendo nas outras fábricas e não sei que nível de escrutínio a FIA está colocando sobre isso", explicou ele. “Nós, como uma equipe independente, obviamente não estamos sob o escrutínio de compartilhar nada com nossos concorrentes, porque isso seria contra nossos próprios interesses.”

"A Fórmula 1 que eu acho que todos nós gostaríamos de ver é 10 ou 11, ou 12, no futuro, que lutam entre si sem piedade e estão lá apenas para seu próprio sucesso esportivo.”

“E a partir do momento que as equipes têm um interesse comum em trocar informações, isso é um problema, porque não deveria ser, você não deveria estar ajudando seus concorrentes.”

"Então, há uma preocupação aí, mas não posso dizer o quanto, não vou acusar as pessoas porque efetivamente não sei. E espero que não haja nada acontecendo."

Burti fala de saída da F1 da GLOBO para BAND, revela negociação com CEO e comenta POLÊMICO GP no RJ

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual piloto merece uma segunda chance na F1?

 

 

 

 

compartilhar
comentários
Como se tornar um Engenheiro de Estratégia na F1 - Qualificações, habilidades e mais
Artigo anterior

Como se tornar um Engenheiro de Estratégia na F1 - Qualificações, habilidades e mais

Próximo artigo

F1: Alpine pode receber penalidade de grid nos próximos GPs; entenda

F1: Alpine pode receber penalidade de grid nos próximos GPs; entenda
Carregar comentários