F1: "Angustiada" em 2021, Alfa Romeo confia em desenvolvimento para próxima temporada

Equipe suíça congelou motor e não traz novas atualizações no atual campeonato, com foco no novo regulamento do ano que vem

F1: "Angustiada" em 2021, Alfa Romeo confia em desenvolvimento para próxima temporada
Carregar reprodutor de áudio

Quando a Alfa Romeo tomou a decisão em janeiro de interromper o desenvolvimento de seu carro de Fórmula 1 de 2021, ela sabia que poderia enfrentar algumas desvantagens a curto prazo. Afinal, no meio do pelotão, qualquer pequena vantagem de ritmo que os rivais ganhem enquanto avançam com seus desenvolvimentos arriscava a embaralhar a operação da equipe suíça.

Com certeza, pela maior parte da grid ter trago pelo menos algumas melhorias importantes no início da temporada, talvez tenha sido um ano mais difícil do que o esperado para os chefes da escuderia.

Leia também:

Apesar do grande progresso que fez em termos de ritmo - reduzindo a vantagem para os carros da frente no tempo de volta geral - isso não se manifestou em maior quantidade de pontos.

E com a Williams se beneficiando ao máximo do caos do GP da Hungria, conseguindo 10 valiosos pontos, a Alfa Romeo parece prestes a voltar para casa em nono este ano, pois sabe que não trará mais atualizações do que seu adversário.

Embora agora praticamente em terra de ninguém - livre da Haas bem atrás em termos de ritmo e pontos - e muito longe da Aston Martin e talvez até da própria Williams à frente, o chefe da equipe Fred Vasseur não tem arrependimentos absolutos.

Claro que há frustrações sobre suas chances competitivas - como Kimi Raikkonen expressou no rádio após o GP da Grã-Bretanha - mas no longo prazo, o mandatário está convencido de que este é um caso de dor de curto prazo para ganho de longo prazo.

"Adoraria que conseguíssemos mais pontos", disse Vasseur ao Motorsport.com. "Fizemos grandes esforços dentro da escuderia, mas o principal motivo de estarmos perdendo um pouco no desempenho desde o início do campeonato é porque decidimos mudar, a partir de janeiro, para 100% de foco em 2022."

"Quando vejo as atualizações das rivais, mesmo que digam que mudaram para o carro do próximo ano, percebo que elas têm modificações em todos os finais de semana! No entanto, quando tomamos a decisão, eu sabia que virar a chave para a temporada que vem não desenvolverá o carro de 2021. Esse é o caso."

Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Photo by: Motorsport Images

"Ao mesmo tempo, acho foi a decisão certa para nós, porque se olharmos para onde estávamos no ano passado e mantivéssemos o mesmo carro, com investimento e evoluções, não tenho certeza se faria todo o sentido em termos de posição no campeonato."

"Se você ver a diferença para a AlphaTauri ou Alpine, é enorme, mas estou realmente convencido de que foi a escolha certa. Sabíamos que havia um lado positivo e um lado negativo, mas agora você tem que lidar com a parte ruim", acrescentou.

Embora o congelamento do carro da Alfa Romeo em 2021 signifique que a equipe não irá atualizá-lo no restante deste ano, Vasseur acredita que ainda há muito o que jogar nesta temporada.

Ele avalia que as pequenas margens que a equipe precisa atingir podem ser encontradas tanto pelos pilotos quanto pelos engenheiros que extraem do pacote atual: "Não vamos voltar para o túnel de vento com certeza e o motor está congelado"

"Como equipe, temos muito espaço para melhorias. Se você der uma olhada na comparação dos nossos motoristas, um tem mais desempenho na qualificação, o outro na corrida. E temos que tirar o melhor de ambos."

"Com as operações de pista, tenho certeza que conseguimos evoluir, assim como em termos de gerenciamento de pneus, acerto e em todos os tópicos que você tem que lidar. Isso é importante para mim, porque todas as atualizações que faremos como time neste lado também é provavelmente o que pode transportar para o próximo ano."

"Não estamos falando de segundos. Muitas vezes, entre P8, P9 e P14, você tem apenas alguns décimos. Quero manter todos sob pressão e continuar a empurrar na mesma direção."

A razão pela qual Vasseur aceita a dor atual é porque ele sente a chance de um avanço decente no próximo ano. Além da vantagem que ele espera que a Alfa Romeo tenha cumprido os regulamentos de 2022, o recuo ainda maior no teto orçamentário e uma mudança na estrutura de prêmios em dinheiro deixam sua equipe em uma situação potencialmente feliz.

"É por isso que decidimos agir muito rapidamente e bem no início", explicou. "Mesmo se tivermos um limite de custo nesta temporada, sabemos perfeitamente que os carros atuais foram desenvolvidos antes disso."

Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo Racing C41,Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Antonio Giovinazzi, Alfa Romeo Racing C41,Kimi Raikkonen, Alfa Romeo Racing C41

Photo by: Erik Junius

"A próxima temporada será a primeira com o carro desenvolvido sob o teto, do zero. Eu diria que ainda estamos muito abaixo do limite e espero atingi-lo no próximo ano. É uma oportunidade real para nós, enquanto a maioria das outras equipes terá que reduzir o tamanho de seu time ou mudar a abordagem."

"Ainda estamos na direção de aumentar o tamanho, capacidade e quadro de funcionários. O que significa que temos uma dinâmica positiva. O teto orçamentário, para nós, é apenas o próximo passo. E a melhor distribuição de prêmios traz também boas chances. No cenário global, sou mais do que positivo."

"O que também é muito importante é a estabilidade da equipe. Renovamos o negócio com a Alfa Romeo e acho que temos sinal verde em todas as áreas da empresa."

"Você sabe, ainda não é o suficiente para mim. Eu sei perfeitamente que precisamos de um bom carro, boa escalação [de pilotos] e bom trabalho na pista. No final das contas, é corrida, não apenas uma questão de números."

Quanto ganho a Alfa Romeo obtém com seu investimento no início de 2022 só ficará claro no próximo ano. Até então, Vasseur sabe que provavelmente ainda haverá algumas frustrações para sua dupla e escuderia sobre a dificuldade de trabalho que enfrentam atualmente.

No entanto, ele considera tal angústia como um sinal positivo de que as pessoas estão totalmente motivadas para fazer melhor.

"Eu acho que quando você é um piloto, como Kimi e toda a equipe, a reação de quando está fora dos pontos existe. Então a frustração está lá", disse o chefe. "Precisamos de um carro melhor e mais rápido, com certeza, mas tomamos uma decisão e não é no desenvolvimento aerodinâmico que ainda vai acontecer."

“Temos alguns tópicos para evoluir, como a afinação ou gestão dos pneus, para sermos mais rápidos. Você entende perfeitamente a tristeza do motorista quando ele está no carro e quer fazer um trabalho melhor. Eu acho que é uma prova de motivação para mim. Então, estou contente", concluiu.

F1: Saiba detalhes da REUNIÃO SECRETA que poderia sacramentar SENNA na FERRARI dias antes de morrer

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual piloto merece uma segunda chance na F1?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Button relembra saída da Brawn GP com reação agressiva de CEO
Artigo anterior

F1: Button relembra saída da Brawn GP com reação agressiva de CEO

Próximo artigo

F1 - Vettel exalta Alonso: "Maior talento que o esporte já viu"

F1 - Vettel exalta Alonso: "Maior talento que o esporte já viu"
Carregar comentários