Fórmula 1 GP da Itália

F1: Após cinco vitórias consecutivas, a Red Bull pode levar as seis corridas restantes de 2022?

Christian Horner vê reta final da temporada 2022 com otimismo devido à versatilidade do carro da Red Bull, exceto em uma etapa

Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, lifts the winners trophy

Se a Ferrari começou o ano mais forte, a Red Bull rapidamente tratou de mudar isso, virando o jogo a seu favor de forma clara. Enquanto o time de Maranello venceu duas das três primeiras corridas da Fórmula 1 em 2022, a marca austríaca acumula impressionantes 12 triunfos em 16 GPs, e não parece reduzir a velocidade na reta final do campeonato, com apenas seis provas restantes.

Por mais que Charles Leclerc tenha iniciado o GP da Itália na pole, o monegasco foi obrigado a ver Max Verstappen, que largou em sétimo, cruzar a linha de chegada em primeiro. O holandês já era quarto colocado ao final da primeira volta e em menos de cinco giros já estava atrás do piloto da Ferrari.

Leia também:

A partir daí, Verstappen foi se aproximando do monegasco, até que um safety car virtual foi acionado pelo abandono de Sebastian Vettel, levando a Ferrari a trazer Leclerc aos boxes.

"Nossos pneus estavam em boas condições. Sentimos que uma parada era possível e mantivemos esse plano", disse Christian Horner ao Motorsport.com. "O ritmo de corrida de Max com os macios gastos foi impressionante comparado ao ritmo de Leclerc com médios novos".

Somente depois de 25 voltas o holandês entrou nos boxes para trocar o macio pelo médio. Isso deu a Leclerc a liderança novamente, enquanto o piloto da Red Bull estava a 10s da Ferrari.

"Era importante manter os pneus em bom estado nas primeiras voltas", disse Horner. "Mesmo assim, Max se aproximou de Charles, que passou para uma estratégia de suas paradas. O ritmo que Charles tinha com o macio não era suficiente para alcançar Max. Naquele momento tínhamos uma prova bem controlada".

A vitória em Monza foi a quinta consecutiva de Verstappen, e a sua décima primeira na temporada, mesmo tendo recebido duas penalizações de motor, uma na Bélgica e outra, de menor escala, agora em Monza.

Momentos assim fazem com que Verstappen seja imbatível, o que permite inclusive pensar na possibilidade de ser campeão já em Singapura. Mas, ao ser questionado pelo Motorsport.com se a Red Bull pode pensar em fazer a limpa nas corridas restantes de 2022, Horner disse:

"Isso é pedir demais. Estamos correndo em circuitos diferentes. Vamos comparar Singapura com aqui. Singapura é o lugar com mais curvas no calendário, está cheio de ondulações e é um circuito urbano. Então teremos um desafio completamente diferente".

Mesmo assim, Horner admite que vê com bons olhos as chances para a maioria das corridas restantes do calendário: "Fomos rápidos em Spa, Zandvoort, Monza e até mesmo Budapeste. Então vemos que nosso carro está rendendo bem em circuitos diferentes".

Das seis provas restantes, Singapura é a que, no papel, menos convence a Red Bull sobre suas chances, como concluiu Horner: "Sim, deve ser uma das corridas mais difíceis para nós".

‘CUIDADOS com ALONSO’ e foco no aprendizado: Rico Penteado avalia DRUGOVICH na ASTON MARTIN em 2023

PODCAST #194 - Qual será o futuro de Felipe Drugovich?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Herta fará teste privado com Alpine em Budapeste e de Vries é cotado na vaga de Alonso
Próximo artigo F1: Ferrari explica testes com assoalho antigo nos treinos livres no GP da Itália

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil