F1: Diretor técnico deixará cargo no próximo mês

Andrew James esteve envolvido com a categoria por 25 anos

F1: Diretor técnico deixará cargo no próximo mês

Andrew James, diretor técnico da Fórmula 1, deve deixar seu cargo no mês que vem após uma carreira de 25 anos na organização.

James desempenhou um papel fundamental na criação e implementação de muitos dos sistemas e processos técnicos que ajudaram a tornar a F1 um sucesso global.

Leia também:

Além de ajudar a garantir que o esporte permanecesse na vanguarda da tecnologia e nunca perdesse o ritmo durante seu envolvimento de quase três décadas, ele ajudou a categoria a enfrentar uma série de desafios específicos.

Um desses momentos aconteceu no GP do Japão de 2019, quando o dirigente teve que liderar a relocação do Centro de Tecnologia e Mídia da F1 por causa de uma ameaça de tufão. Se ele tivesse falhado, o evento teria que ser cancelado.

Um dos esforços mais recentes de James foi ajudar a entregar uma transição da F1 para instalações de operações remotas para sua cobertura de finais de semana de GPs. A mudança foi provocada pela pandemia do coronavírus, mas agora provavelmente se tornará uma solução a longo prazo.

Após uma reestruturação do Centro de Tecnologia e Mídia da F1, foi acordado que James deixará seu cargo no final do próximo mês.

Falando sobre sua saída, o dirigente disse que estava orgulhoso de tudo o que havia conquistado na categoria máxima do automobilismo.

"Durante meu tempo na F1, tive o privilégio de realizar projetos emocionantes trabalhando com uma equipe verdadeiramente grande de pessoas que mostraram a criatividade, habilidade, paixão, perseverança e dedicação que permitiram que o negócio apresentasse resultados muito espetaculares", disse.

"Estou muito orgulhoso de ter feito parte disso. Gostaria de agradecer a todos os membros da equipe, antigos e atuais, por seu apoio, mas, em particular, as equipes com as quais trabalhei diretamente, que sempre cumpriram as metas que foram definidas pela organização e por nós mesmos."

"Agora estou seguindo em frente, mas espero ter deixado minha marca e espero que a empresa e a equipe continuem a entregar produtos excelentes que entusiasmam e envolvam os fãs."

Ross Brawn, diretor esportivo, elogiou os esforços que James fez durante o tempo que esteve envolvido com a F1.

"Andrew tem sido um pilar de nossa organização por mais de 25 anos e sua contribuição foi imensa", explicou Brawn.

"Não estaríamos onde estamos hoje sem sua capacidade, comprometimento e dedicação. Gostaria de agradecer pessoalmente a Andrew por seu tempo aqui e desejar a ele tudo de bom para seus planos futuros."

Não está claro se James já decidiu seu próximo passo, mas sua vasta experiência na F1 o tornaria um alvo óbvio para uma equipe", concluiu. 

'TRETAS', IMPROVISO e 'CAUSOS' de GALVÃO BUENO: Ex-diretor faz revelações do narrador de F1 da Globo

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST – Quais são os pilotos mais carismáticos da F1, mas sem grandes resultados?

 

compartilhar
comentários
F1: Sainz opina sobre duelo entre Hamilton e Verstappen em 2021

Artigo anterior

F1: Sainz opina sobre duelo entre Hamilton e Verstappen em 2021

Próximo artigo

Podcast #097 – Empatia zero. Quais são os pilotos mais ‘malas’ da F1?

Podcast #097 – Empatia zero. Quais são os pilotos mais ‘malas’ da F1?
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Autor Jonathan Noble