F1: Entenda por que Vasseur dá voto de confiança à equipe de estratégia da Ferrari

Novo chefe da escuderia italiana acredita que seria “arrogância” de sua parte entrar em novo time e mudar pessoas após duas semanas de trabalho

Ferrari pit gantry

Enquanto a Ferrari refletia sobre as oportunidades perdidas na temporada de Fórmula 1 de 2022, não era preciso ser um gênio para entender que a estratégia havia sido uma de suas principais fraquezas.

Dos grandes erros que atrapalharam sua busca pela vitória no GP de Mônaco, a questões sobre não mandar Charles Leclerc para o pit stop no final de Silverstone, à bizarra aposta de pneus intermediários no Brasil com piso molhado, foi um tema recorrente ao longo da temporada.

Leia também:

Embora os erros tenham levado alguns a sugerir que a Ferrari precisava ser dura e substituir seus chefes de estratégia, o chefe da equipe, Mattia Binotto, foi mais otimista sobre o assunto.

Ele sentiu que os erros de estratégia da Ferrari foram exagerados às vezes, especialmente com a maneira como o próprio feed de televisão internacional da F1 frequentemente se concentrava mais nas conversas do pit wall do que em outras equipes.

Além disso, ele achava que os erros cometidos nunca eram estritamente culpa do chefe de estratégia principal que tomava decisões ruins, já que suas decisões só podiam ser tão boas quanto as informações que ele tinha à sua disposição no momento.

Assim, por exemplo, a falta de dados claros sobre o delta de pneus slick em Mônaco, ou uma calma nos boxes sobre o clima instável em Interlagos, foram igualmente culpados.

A convicção de Binotto na equipe de estratégia contrariou uma crença contínua que muitos tinham sobre a necessidade de mudar alguma coisa se a Ferrari não desperdiçasse o tipo de oportunidade que teve no ano passado.

Assim, com o novo chefe, Frederic Vasseur, contratado para ajudar a dar a Maranello o empurrão necessário para conquistar o título, é óbvio que a estratégia será uma de suas principais áreas de foco.

Mas, embora houvesse algumas sugestões iniciais de que Vasseur poderia empunhar um machado em sua atual equipe de pit wall e começar de novo com um novo pessoal, sua abordagem real parece ser muito diferente.

Semelhante a Binotto, Vasseur acredita que seria errado ver erros de estratégia como totalmente culpa de um único indivíduo.

Frédéric Vasseur, Ferrari

Frédéric Vasseur, Ferrari

Photo by: Ferrari

Em vez disso, ele avalia que existem fatores mais profundos por trás do que deu errado na Ferrari na última temporada, e que os erros na frente de estratégia geralmente são resultados de problemas de infraestrutura.

Então, enquanto ele admite que as discussões estão em andamento para entender melhor como as coisas podem ser melhoradas, a solução para a Ferrari provavelmente gira mais em torno de melhores processos do que uma mudança de pessoal.

"Quando você está falando sobre estratégia, aerodinâmica ou outro assunto, deve evitar se concentrar apenas no topo da pirâmide", explicou Vasseur quando questionado pelo Motorsport.com sobre quais mudanças ele planejava fazer para o início da temporada.

“Muitas vezes, quando se fala em estratégia, é muito mais uma questão de organização do que apenas o cara que está no pitwall.

"Estou tentando entender exatamente o que aconteceu em cada erro e o que aconteceu no ano passado. E tentar saber se é uma questão de decisão, se é uma questão de organização ou de comunicação."

Uma possibilidade, diz Vasseur, é que as linhas de comunicação da Ferrari eram muito complicadas e envolviam muitas opiniões.

“Muitas vezes, no pit wall, o maior problema é mais a comunicação e o número de pessoas envolvidas do que os indivíduos”, acrescentou. “Se você colocar muitas pessoas discutindo sobre as mesmas coisas, quando você tiver o resultado da discussão, o carro estará na próxima volta.

"Você só precisa ter um fluxo claro de discussão e um fluxo claro de comunicação entre as pessoas boas na posição certa, com certeza. Mas é um trabalho em andamento."

A postura de Vasseur na frente estratégica está de acordo com sua abordagem para o resto da equipe.

"Seria arrogante da minha parte tomar medidas contra a organização técnica depois de duas semanas", disse ele. “Temos discussões para tentar entender como poderíamos melhorar o sistema, qual poderia ser o ponto fraco do sistema e tentar fazer um trabalho melhor.

“É mais uma melhoria contínua do que um grande passo ou grandes mudanças que, a meu ver, não fariam sentido.

"Confio nos rapazes no lugar e tentarei fazer o melhor por eles também, para colocá-los nas melhores condições para fazer o trabalho. Depois de algumas semanas ou meses, será hora de agir. Mas eu confio neles."

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #214 – Quem pode surpreender na temporada 2023 da F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Parceria dá nova identidade para Alfa Romeo a partir de 2023
Próximo artigo Jornal revela comentários sexistas de presidente da FIA feitos há mais de 20 anos

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil