Fórmula 1 GP do Japão

F1: Entenda regra que desencadeou confusão sobre bandeira quadriculada no GP do Japão

Equipes entenderam que restava ainda uma volta a ser completada depois do cronômetro ter sido zerado

Max Verstappen, Red Bull Racing RB18, 1st position, takes the chequered flag for victory

A confusão sobre as regras da Fórmula 1 não se limitou apenas aos pontos no GP do Japão, pois a forma como a corrida terminou também deixou as equipes confusas.

Com a prova em Suzuka tendo sido marcada por uma bandeira vermelha no início devido à deterioração das condições climáticas, e o evento não sendo retomado até que houvesse pouco menos de 40 minutos do limite de tempo máximo de três horas restantes, era claro que ela nunca iria percorrer a distância integral.

Leia também:

Mas enquanto as equipes tinham uma ideia aproximada de quanto tempo iria durar, eles foram pegos de surpresa sobre a volta exata em que terminaria. Sob o limite máximo de duração de duas horas, as regras são claras de que, uma vez que esse limite seja atingido, o piloto líder terá que completar mais uma volta depois disso antes que a bandeira quadriculada apareça.

O artigo 5.4 do regulamento esportivo da F1 estabelece: "Se duas horas transcorrerem antes que a distância programada para a corrida seja completada, será mostrado ao líder o sinal de fim de sessão quando ele cruzar a linha de controle (a Linha) no final da volta seguinte à volta durante a qual o período de duas (2) horas terminou, desde que isso não resulte em exceder o número programado de voltas".

Então, algumas equipes estavam prevendo que, uma vez que as três horas terminassem, haveria mais uma volta antes que a bandeira quadriculada fosse mostrada.

Isso era algo que a Alpine estava antecipando, já que Fernando Alonso estava no comando após uma mudança, um pouco mais tarde na corrida, para novos pneus intermediários e estava prestes a ultrapassar Sebastian Vettel. O diretor esportivo do time de Enstone, Alan Permane, disse que sua equipe ficou surpresa com a corrida terminando uma volta antes do esperado.

“Acho que a corrida foi interrompida uma volta antes, a bandeira quadriculada foi uma volta antes do que deveria”, disse ele. “Acho que quando Max cruzou a linha, ainda faltavam cerca de cinco segundos no relógio e então eles marcaram na volta seguinte. Se a corrida tivesse ido para a distância que pensávamos, ele teria conseguido [ultrapassar] Sebastian.”

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22, Fernando Alonso, Alpine A522

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22, Fernando Alonso, Alpine A522

Photo by: Sam Bloxham / Motorsport Images

A Alpine não estava sozinha, pois até Max Verstappen e a Red Bull pareciam ter sido pegos de surpresa pelo fato de a bandeira quadriculada ter aparecido quando isso aconteceu. Apesar dos sistemas de corrida mostrarem que ele venceu e a bandeira foi mostrada, Verstappen continuou pressionando, pois ele e sua equipe não tinham certeza se a corrida havia terminado ou não.

Tendo chegado até as curvas de Degner, o engenheiro de Verstappen, Gianpiero Lambiase, disse: “Ok, Max, parece haver alguma confusão sobre se a corrida acabou. Nós achamos que sim. Só traga para casa [o carro].

Charles Leclerc, da Ferrari, também teve que perguntar: “Acabou?” Mais atrás, a McLaren pediu a Daniel Ricciardo que mantivesse sua velocidade após a bandeirada, pois não tinha certeza do que havia acontecido.

O chefe da equipe, Andreas Seidl, disse: “A bandeira quadriculada foi lançada na hora certa, mas vimos que Max Verstappen ainda estava a todo vapor depois de cruzar a linha de chegada, então não sei exatamente o que aconteceu.

"Todos nós concordamos [no pitwall] que era a bandeira quadriculada, mas como Max ainda estava pressionando, incialmente dissemos que iríamos pelo lado seguro e continuamos pressionando também porque talvez pudéssemos ter perdido algo."

No final, a resposta sobre por que a bandeira quadriculada tinha sido agitada mais cedo do que algumas equipes anteciparam foi esclarecido: por conta de uma redação específica do regulamento. Enquanto o limite de duas horas nas regras mencionava a volta extra, o tempo limite de três horas para um evento é uma parada difícil.

Ao discutir os limites de tempo, o Artigo 5.b afirma: “Se a corrida for suspensa (ver Artigo 57), a duração da suspensão será adicionada a este período até um tempo total máximo de corrida de três (3) horas.” Sem qualquer referência à necessidade de fazer uma volta extra, a janela de três horas significa que, assim que o limite de tempo for atingido, a bandeira quadriculada será colocada para o líder da corrida - e foi exatamente o que aconteceu.

No entanto, assim como a confusão sobre a distribuição de pontos que prejudicou as consequências do GP do Japão, essa regra de três horas pode ser ajustada durante o inverno para se alinhar com a forma como o limite de duas horas é tratado.

O que pode acontecer com a Red Bull em função da quebra do teto de gastos em 2021?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura durante nossos programas. Não perca!

Podcast Motorsport.com debate se GPs de rua têm de ser revistas na F1 após Singapura

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Haas confirma Pietro Fittipaldi nos treinos livres dos GPs do México e de Abu Dhabi
Próximo artigo Pietro Fittipaldi volta a guiar F1 da Haas em treinos livres no México e em Abu Dhabi

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil