F1: Ferrari minimiza ‘renascimento’ da Mercedes na Espanha

Para Mattia Binotto, atual diferença das ‘Flechas de Prata’ é igual ao da própria Ferrari com rivais no ano passado

F1: Ferrari minimiza ‘renascimento’ da Mercedes na Espanha
Carregar reprodutor de áudio

A Ferrari acredita que as pessoas não devem se deixar levar pela recuperação da Mercedes no GP da Espanha, já que seu rival da Fórmula 1 ainda está muito atrasado.

Uma série de atualizações trazidas para a corrida do fim de semana passado em Barcelona ajudaram a Mercedes a fazer sua corrida mais competitiva da temporada até agora.

Leia também:

George Russell terminou em terceiro para conquistar seu segundo pódio do ano, enquanto Lewis Hamilton se recuperou de um furo de pneu na primeira volta para voltar em quinto.

O ritmo do W13 levou o chefe da Mercedes, Toto Wolff, a declarar que a equipe tinha o carro de corrida mais rápido do domingo, e que sua crença de que pode ganhar o título este ano foi renovada.

Mas o chefe da Ferrari, Mattia Binotto, disse que a forma competitiva da Mercedes precisa ser contextualizada – e que a montadora alemã ainda não é mais rápida do que a própria equipe de Maranello em 2021.

Falando à Sky, Binotto disse: “Primeiro, parabéns a eles, porque eles se recuperaram e melhoraram a velocidade do carro.

“Na classificação eles estavam sete décimos do ritmo, que ainda é um circuito curto. Na corrida eles terminaram a 30 segundos ou mais da Red Bull, e poderia ter sido talvez 40 segundos para Charles [Leclerc].

“Quarenta segundos, 66 voltas, ainda são seis, sete décimos por volta. Seis décimos, sete décimos por volta ainda são significativos. É como a Ferrari no ano passado."

Mas enquanto Binotto não está se empolgando muito com a Mercedes, a Red Bull está atenta ao potencial que a equipe de Brackley tem.

Tendo visto a rapidez com que a própria equipe conseguiu voltar à briga na tabela de classificação do campeonato, o chefe da Red Bull, Christian Horner, acha que a Mercedes tem a chance de fazer algo semelhante.

Refletindo sobre a reviravolta entre a Red Bull e a Ferrari, Horner disse: “Acho que mostra a rapidez com que as coisas podem mudar.

"Acho que depois da Austrália estávamos na casa 40 pontos atrás e agora lideramos por seis, a caminho de Mônaco, algumas corridas depois. Então isso mostra a rapidez com que as coisas podem mudar.

“É por isso que eu não descartaria a Mercedes com a quantidade de pontos ainda disponíveis. Sabemos que a Ferrari tem um carro muito rápido. Então, você sabe, as coisas podem mudar muito rapidamente.”

VÍDEO: Qual é o melhor piloto da temporada 2022 da F1 até agora?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST #178: Será o fim da linha para Vettel e Alonso na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Sergio Mauricio pede desculpas após gafe sobre Flamengo no GP da Espanha
Artigo anterior

F1: Sergio Mauricio pede desculpas após gafe sobre Flamengo no GP da Espanha

Próximo artigo

F1: Dados sugerem que Bottas e Alfa Romeo podem surpreender em Mônaco

F1: Dados sugerem que Bottas e Alfa Romeo podem surpreender em Mônaco