F1: Hamilton diz que tem sofrido “muito mais dores de cabeça” este ano

Segundo heptacampeão, dores são consequências dos saltos causados pelo porpoising

F1: Hamilton diz que tem sofrido “muito mais dores de cabeça” este ano
Carregar reprodutor de áudio

Depois da primeira era de efeito solo na Fórmula 1, no início da década de 1980, o porpoising retornou através do fluxo de ar que passa nos assoalhos, se desprendendo e se reconectando ao carro.

Isso força o downforce a se separar, criando um ciclo onde os carros são puxados para a superfície da pista e depois, são liberados em velocidades mais altas.

Leia também:

Para combater este efeito, as equipes experimentaram aumentar a rigidez da suspensão e diminuir a altura da parte inferior do carro em relação à pista, mas isso tem causado mais saltos à medida em que os carros passam por solavancos no asfalto.

Durante o fim de semana do GP do Azerbaijão, havia indícios que o porpoising voltaria a afetar os carros, mas as equipes rejeitaram os ajustes de regras, planejados no ano passado e que buscavam eliminar o efeito.

Lewis Hamilton revelou que esses movimentos violentos podem submeter os pilotos em forças de até 10G.

O sete vezes campeão mundial sentia dores notáveis nas costas depois de deixar sua Mercedes W13 no fim das 51 voltas no Circuito da Cidade de Baku.

Questionado sobre os tempos de recuperação entre uma corrida e outra em 022, Hamilton disse: “Há muito mais hematomas após as corridas hoje em dia, então você leva a maior parte da semana se recuperando.”

“Eu não acho que, no geral, isso tenha a ver com a idade, mas os hematomas podem ser bastante graves.”

“Quando você está experimentando 10G vindos com o salto, que é o que experimentei na última corrida, essa carga pesada é sentida na parte inferior e na parte superior do pescoço.”

Hamilton também revelou que está sentindo mais dores de cabeça desde a mudança radical nos carros.

Ele disse: "Em termos de micro concussões, definitivamente tenho tido muito mais dores de cabeça nos últimos meses, mas não consultei um especialista para falar sobre isso.”

"Eu não estou levando isso muito a sério; eu só estou tomando alguns analgésicos."

Questionado sobre a tensão presente no restante do corpo, Hamilton continuou: “Não posso enfatizar mais o quão importante é a saúde para nós.”

"Acho que temos um esporte incrível aqui. Mas a segurança tem que ser a coisa mais importante.

"Eu definitivamente sinto que estou um pouco mais baixo esta semana. Os discos [nas minhas costas] definitivamente não estão na melhor forma agora.”

"Isso não é bom para a longevidade. Há coisas que podemos fazer para melhorar isso para todos os pilotos aqui. Não há necessidade de lesões a longo prazo."

Antes do GP do Canadá neste fim de semana, a FIA anunciou que vai intervir - embora apenas observe e não intervenha em Montreal - por meio de uma diretiva técnica para combater os saltos.

Isso vai acontecer por motivos de segurança e virá na forma de "exame mais minucioso dos assoalhos, tanto em termos de design quanto do desgaste observado".

Além disso, haverá uma “definição de uma métrica, baseada na aceleração do carro, que dará um limite quantitativo para o nível aceitável de oscilações verticais.”

“A fórmula matemática exata para esta métrica ainda está sendo analisada pela FIA, e as equipes de F1 foram convidadas a contribuir para este processo”.

TELEMETRIA: Rico Penteado analisa GP do Canadá, Ferrari e 'quicadas'

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Qual maior adversário ao bi de Verstappen: Pérez, Leclerc ou confiabilidade da Red Bull?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

 

 

compartilhar
F1: Verstappen lidera o primeiro treino livre para o GP do Canadá; Leclerc é quinto
Artigo anterior

F1: Verstappen lidera o primeiro treino livre para o GP do Canadá; Leclerc é quinto

Próximo artigo

F1: Por ora, Leclerc se livra de punição no Canadá; Tsunoda sai do fundo do grid

F1: Por ora, Leclerc se livra de punição no Canadá; Tsunoda sai do fundo do grid