F1: Leclerc vê carros de 2021 como mais difíceis de lidar na entrada das curvas

O monegasco ainda falou sobre como a disputa com Verstappen pela vitória do GP da Áustria de 2019 influenciou em sua pilotagem

F1: Leclerc vê carros de 2021 como mais difíceis de lidar na entrada das curvas

Com a pré-temporada e o primeiro GP de 2021 passados, os pilotos começam a ter uma noção melhor sobre os novos carros da Fórmula 1. E segundo Charles Leclerc, as mudanças de aerodinâmica tornaram os modelos mais difíceis de serem conduzidos na entrada de curvas.

Uma seção do assoalho foi removida à frente dos pneus traseiros, e novas restrições foram impostas nos dutos de freio e nas dimensões do difusor. Com um corte de até 10% no downforce, os carros estão mais lentos, e Leclerc notou uma mudança na abordagem mesmo que os carros e 2021 não sejam totalmente diferentes.

Leia também:

"Em termos de estilo de pilotagem não temos mudanças, mas há algo diferente", disse Leclerc em entrevista exclusiva à edição italiana do Motorsport.com"Você precisar ir um pouco além na entrada das curvas, porque a traseira do carro é mais difícil de lidar por conta do assoalho modificado".

Leclerc é um piloto que gosta de carros com a traseira mais solta, já que isso lhe permite ter uma rotação melhor nas curvas. O monegasco acredita que esse tenha sido um fator para explicar porque Sebastian Vettel sofreu tanto com a Ferrari de 2020 enquanto ele teve uma performance melhor.

Refletindo sobre o que havia aprendido no ano passado e porquê tinha uma vantagem sobre Vettel em tirar o máximo do SF1000, Leclerc falou sobre as diferenças no estilo de pilotagem.

"No final das contas, acredito que é uma questão de sensação e estilo de pilotagem. Gosto de um carro com uma traseira mais solta, porque posso usá-la na hora de virar o carro, mas outros pilotos sofrem com isso".

"O SF1000 tinha uma traseira que não era muito estável e, para mim, esse aspecto nunca foi um problema, mas não posso dizer o mesmo de Seb. É apenas um aspecto que diz respeito ao meu estilo de pilotagem".

Uma outra abordagem à sua pilotagem que Leclerc aprendeu em sua carreira é como lidar com seu nível de agressividade nas batalhas. Após notoriamente perder a vitória no GP da Áustria de 2019 para Max Verstappen, o piloto jurou que daria o máximo de si nas batalhas.

Graças a uma diretriz posterior dos comissários que permitiram que os pilotos tivessem disputas mais agressivas, Leclerc disse que sua abordagem segue a mesma até hoje.

"Acho que foi bom para o esporte. E disse isso logo após o final da corrida, apesar de ficar desapontado com o resultado. Sempre achei que se eles nos deixassem correr com menos amarras, poderíamos oferecer corridas mais espetaculares".

"Mas precisávamos de consistência dos comissários, como acabou acontecendo. A partir dali, tivemos a certeza de que poderíamos ir além nos embates sem o medo de ser punidos, e eu me adaptei bem a isso".

NELSON PIQUET e Nelsinho dão DETALHES de equipe na Stock; veja como será a 'versão Lauda' de Nelsão

Assine o canal do Motorsport.com no Youtube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like (joinha) nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

PODCAST: Um sorriso mesmo sem vitória? Quais são os pilotos mais carismáticos da F1, mesmo sem grandes resultados?

 

compartilhar
comentários
ANÁLISE: AlphaTauri pode ser a surpresa da F1 em 2021?

Artigo anterior

ANÁLISE: AlphaTauri pode ser a surpresa da F1 em 2021?

Próximo artigo

F1 2021: Confira os horários e como assistir ao GP da Emilia Romagna, em Ímola

F1 2021: Confira os horários e como assistir ao GP da Emilia Romagna, em Ímola
Carregar comentários