F1: Mercedes anuncia fim de parceria com patrocinadora acusada de envolvimento em tragédia no Reino Unido

Material de isolamento da Kingspan é acusado de ter papel em incêndio que matou 72 pessoas

F1: Mercedes anuncia fim de parceria com patrocinadora acusada de envolvimento em tragédia no Reino Unido
Carregar reprodutor de áudio

A Mercedes anunciou nesta quarta (08) que encerrou o acordo de patrocínio com a Kingspan de forma imediata após a polêmica levantada na semana passada. O anúncio da nova patrocinadora aconteceu antes do GP da Arábia Saudita de Fórmula 1, e logo passou a ser alvo de críticas devido ao envolvimento da marca no incêndio da Torre Grenfell.

O isolamento da Kingspan foi um dos produtos usados na parte de fora da torre, e seu papel na tragédia que matou 72 pessoas segue sendo amplamente investigado. O grupo Grenfell United, formado por sobreviventes e familiares dos mortos, escreveu para Toto Wolff, chefe da Mercedes, expressando sua raiva pelo acordo.

Leia também:

Michael Grove, membro do governo britânico, também escreveu uma carta aberta a Wolff, pedindo que ele reconsiderasse o acordo, e que o governo poderia mudar as regras de patrocínio para o esporte a motor, devido à resposta ao anúncio.

Wolff deixou implícito no sábado que a Mercedes poderia reavaliar o acordo com a Kingspan, e a equipe confirmou nesta quarta que o acordo havia sido encerrado por consenso.

"A equipe Mercedes e a Kingspan anunciaram hoje que chegaram a um acordo mútuo pelo encerramento da parceria", diz o comunicado da Mercedes. "Anunciado na semana passada, a parceria incluía a Kingspan liderando um Grupo de Trabalho de Sustentabilidade para a equipe, com o objetivo de reduzir as emissões de carbono através de soluções sustentáveis de ponta para o campus futuro da equipe".

"Porém, ambas as partes concluíram posteriormente que não é apropriado para que a parceria siga em frente neste momento, não obstante seu impacto positivo pretendido e, portanto, concordamos em encerrar com efeito imediato". 

Toto Wolff, Team Principal and CEO, Mercedes AMG

Toto Wolff, Team Principal and CEO, Mercedes AMG

Photo by: Simon Galloway / Motorsport Images

Em seu próprio comunicado, a Kingspan diz que está "profundamente ciente das emoções despertadas nos últimos dias e, por isso, chegamos a um acordo conjunto de que não será apropriado dar continuidade no momento".

A Kingspan também respondeu algumas das críticas enfrentadas, afirmando que "não teve nenhum papel na reforma da Torre Grenfell", e que seus negócios de isolamento no Reino Unido "são participantes ativos nas investigações da Torre Grenfell e que apoia completamente o trabalho que está sendo realizado".

"Condenamos da maior forma possível a conduta historicamente inaceitável e e-mails que surgiram ao longo da investigação", disse. "Pedimos desculpas por essas ações de um pequeno grupo de funcionários em nossos negócios no Reino Unido. Isso não reflete a cultura ou valores da Kingspan de modo algum".

A Grenfell United respondeu à notícia afirmando que a Mercedes "fez o certo ao se dissociar" da Kingspan. "Com a justiça ainda muito longe, são pequenos passos como esse que nos encorajam a seguir lutando", diz a carta aberta do grupo, publicada no Twitter.

 

F1 2021: Quem é FAVORITO ao título? Veja QUAIS PONTOS FAVORECEM Verstappen ou Hamilton em Abu Dhabi

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #151: Hamilton x Verstappen é a maior decisão da história da F1?

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Marko pede desculpas por negar manobra de Verstappen na Arábia e projeta Abu Dhabi "mais favorável"
Artigo anterior

F1: Marko pede desculpas por negar manobra de Verstappen na Arábia e projeta Abu Dhabi "mais favorável"

Próximo artigo

FIA confirma que Zhou usará número 24 na F1 a partir de 2022

FIA confirma que Zhou usará número 24 na F1 a partir de 2022
Carregar comentários