F1: Mercedes explica "sequência estranha de eventos" que levou à punição de Hamilton

Toto Wolff explicou o que estava acontecendo no pit wall quando Hamilton entrou nos boxes

F1: Mercedes explica "sequência estranha de eventos" que levou à punição de Hamilton
Carregar reprodutor de áudio

Na primeira metade do GP da Itália de Fórmula 1, tudo parecia encaminhado para mais uma vitória de Lewis Hamilton. Mas uma entrada nos boxes no momento errado levou a uma punição que acabou com as chances do britânico conquistar sua 90ª vitória no Mundial. Após a corrida, Toto Wolff, chefe da Mercedes, explicou a confusão com a parada de Hamilton.

O piloto tinha uma vantagem de mais de 10 segundos sobre Carlos Sainz, o segundo colocado, em Monza quando o safety car foi acionado após o abandono de Kevin Magnussen próximo da entrada dos boxes.

Leia também:

Isso levou a direção de prova a fechar a entrada do pit lane 11 segundos depois do acionamento do carro de segurança, impedindo que pilotos entrassem para que o carro da Haas fosse retirado com segurança.

Mas Hamilton entrou nos pits sem ver os sinais luminosos informando que o pit lane estava fechando, levando a uma investigação dos fiscais que resultou em uma punição de stop and go de dez segundos, que o deixou mais de 25 segundos atrás do grid depois da relargada.

Hamilton, de pneus duros novos, conseguiu escalar o pelotão e terminou em sétimo, conquistando ainda o ponto extra da volta mais rápida.

Toto Wolff, chefe da Mercedes, explicou que a equipe não conseguiu ver a notificação que avisava que o pitlane estava fechado e a entrada dos pits também não tinham indicação.

"Foi uma sequência estranha de eventos que poderíamos ter visto antes. As decisões que foram tomadas foram muito incomuns, mas estavam absolutamente dentro das regras. Um dos carros da Haas estava parado do lado direito, próximo da entrada, do lado de dentro da Parabolica, e havia apenas uma amarela. Onze segundos depois, o safety car foi acionado".

"A partir do momento que o safety car foi acionado, eles colocaram a entrada do pitlane sob bandeira vermelha, mas não era exatamente vermelha, eram duas bandeiras amarelas. Um dos estrategistas gritou no rádio enquanto ele entrava no pitlane. Houve confusão".

"Não pudemos ver os sinais, e essa sequência de eventos que estragou a corrida de Lewis. Não fico feliz, mas temos que aguentar".

Após a corrida, Hamilton revelou que não conseguiu ver as bandeiras amarelas nos painéis dizendo que o pitlane estava fechado, aceitando a culpa pelo erro. 

"Honestamente, eu não vi os painéis, então aceito a responsabilidade pelo erro. É algo que vou aprender. Conseguir o sétimo lugar e a volta mais rápida, ainda consegui bons pontos considerando que não achei que seria possível, já que estava a 26 segundos do último carro".

Wolff disse que o único jeito da Mercedes ver que o pitlane estava fechado era olhando na quarta página do documento de timing da FIA.

"Do pit wall, não é possível ver as bandeiras amarelas, e se o piloto não notá-las, o que eu acredito, o único modo de saber que o pitlane está fechado é olhando a página quatro do sistema de comunicações da FIA".

"Ninguém olha para aquilo quando o safety car é acionado se o piloto está próximo de fazer a parada. Todos estão concentrados naquilo. Uma infelicidade, uma decisão bem incomum de fechar o pitlane".

PÓDIO: GP da Itália maluco! Gasly vence, Hamilton punido e Ferrari na maior "draga" em 35 anos

PODCAST: O que será da F1 no Brasil em 2021, sem Globo, pilotos e corrida?

 

compartilhar
comentários
Dupla da Red Bull lamenta problemas no GP da Itália: "Não foi uma corrida divertida"
Artigo anterior

Dupla da Red Bull lamenta problemas no GP da Itália: "Não foi uma corrida divertida"

Próximo artigo

Hamilton critica Red Bull por tratamento dado a Gasly em 2019: "Não foi com justiça"

Hamilton critica Red Bull por tratamento dado a Gasly em 2019: "Não foi com justiça"
Carregar comentários