Últimas notícias

F1 - Mercedes: Teto de gastos não limitará mudanças importantes no carro de 2024

"Ainda não é o carro que vai bater a Red Bull. Temos que trabalhar para obter isso", disse Hamilton após o GP do Canadá

Lewis Hamilton, Mercedes F1 W14, Fernando Alonso, Aston Martin AMR23

A Mercedes se vê encorajada pela atualização recente do W14, que parece ter ajudado a equipe alemã a reduzir a diferença para a Red Bull. E, segundo a marca alemã, os planos para uma repaginada "fundamental" do seu carro para a temporada 2024 da Fórmula 1 não será afetada pelo teto de gastos.

O time está ciente de que precisa fazer mudanças maiores no carro, já que alguns elementos do W14 estão longe de serem perfeitos, e alguns deles não são fáceis ou baratos de fazerem, já que demandam a homologação de um novo chassi.

Leia também:

Tal passo não é fácil na era do teto orçamentário, com as equipes tendo que equilibrar os gastos de desenvolvimento contra os limites rígidos de gastos. Mas Toto Wolff revelou que sua equipe implementou uma análise profunda do fluxo de caixa e diz que o caminho está pavimentado para que eles possam trabalhar como quiserem no W15 sem se preocupar com furar o limite.

"Montamos uma grande organização em nosso departamento financeiro, que conta com 46 pessoas. Eles monitoram os gastos do teto até o último prego. Isso segue uma tendência de gastos ao longo do ano e, basicamente, o que fizemos é alocar recursos a vários projetos".

"Ficamos abaixo dessa linha no ano passado e esse ano também. Considerando uma mudança normal de desenvolvimento para o próximo ano, ainda estamos dentro".

"O bom é que estamos aprendendo sobre o carro constantemente. Teremos mudanças fundamentais para 2024, mas não estamos construindo. É mais sobre as simulações, e isso não é medido em dinheiro, mas sim em espaço de armazenamento e horas de testes".

George Russell, Mercedes-AMG Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

George Russell, Mercedes-AMG Lewis Hamilton, Mercedes-AMG

Photo by: Steve Etherington / Motorsport Images

Hamilton pede mudanças no carro

Enquanto a Mercedes desbloqueou bons ganhos de performance no W14, a equipe está ciente de que há algumas áreas nas quais ainda está devendo.

Após o GP do Canadá, Lewis Hamilton apontou algumas características problemáticas que precisam ser minimizadas, e que giram ao redor da traseira, que se mostrou difícil de lidar em 2023.

"Estamos sofrendo particularmente nas curvas de baixa, e é aí que eu estava perdendo para Fernando e Max, na tração da saída da curva 2, na verdade em todas as curvas", disse. "Temos muito trabalho pela frente para aumentar o downforce traseiro e melhorar a eficiência. Mas estamos andando".

"Não parece uma diferença muito grande em comparação ao começo do ano. Há elementos que realmente parecem diferentes, mas simplesmente temos mais downforce no carro. Mas as características seguem similares".

"Para o próximo ano, temos que tirar várias dessas coisas e mudá-las. Definitivamente não é, em termos de características, o carro que vai bater a Red Bull. Temos que trabalhar para obter isso".

Rico Penteado abre o jogo sobre Michael Schumacher

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast Motorsport.com debate se já há como comparar Verstappen e Senna na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Artigo anterior F1: Pérez insinua problema nos freios da Red Bull no Canadá; Horner nega
Próximo artigo Diretor da Red Bull: punição do túnel de vento afetará carro da F1 2024; entenda
Assinar