Fórmula 1 GP da Itália

F1: O "piloto certo" venceu em Monza, segundo Mercedes

Mike Elliott, diretor técnico da Mercedes, deu sua visão acerca do episódio do safety car em Monza, que repercutiu no paddock e nas redes sociais

The Safety Car Max Verstappen, Red Bull Racing RB18, 1st position, over the line

A polêmica do GP da Itália de Fórmula 1 segue rendendo, devido ao seu final sob safety car, que desagradou muitos fãs. Mas para o diretor técnico da Mercedes, Mike Elliott, mesmo em meio ao imbróglio causado pelo carro de segurança, o "piloto certo" venceu em Monza.

O SC foi acionado devido ao abandono de Daniel Ricciardo, mas o procedimento demorou tanto que não foi possível reiniciar a prova antes da última volta. O público e membros do paddock lamentaram que a prova não tenha acabado sob bandeira verde por causa do espetáculo e pela chance de Charles Leclerc bater Max Verstappen. Mas nem todos concordam com essa possibilidade.

Leia também:

No tradicional vídeo pós-corrida da Mercedes, Elliott voltou a falar sobre o rolo com o safety car: "Penso que o diretor de prova tinha uma decisão muito difícil para tomar. A segurança é a principal preocupação, e tínhamos um carro parado na pista em uma posição difícil, e a única forma de removê-lo era usando o guindaste".

"Para fazer isso com segurança, era preciso parar a corrida ou juntar todos os carros atrás do safety car. E acho que, se você observar o que aconteceu, o SC saiu na frente de George [Russell], não na frente de Max, o que deveria ter acontecido, e isso demorou um pouco para juntar todos os carros, retirar o carro abandonado e permitir que os retardatários recuperassem a volta. Nessa situação nunca recomeçaria".

O safety car no GP da Itália

O safety car no GP da Itália

Nove meses depois do GP de Abu Dhabi, que ficou marcado pela direção de prova contornar regras para apressar a relargada da corrida afim de uma última volta lançada, o que pesou aqui foi o fato da direção seguir à risca o que o regulamento determina.

"Acho que, do ponto de vista da equipe, o que queremos é consistência. Queremos ver as regras sendo aplicadas da mesma forma todas as vezes, então todos sabem o que vai acontecer. Acho que, uma vez que você diz que tem uma escolha, uma bandeira vermelha e reiniciar a prova com três voltas, ou que vença um piloto que provavelmente venceria por mérito e que já está nessa situação a 50 voltas?".

"Acho que são decisões difíceis. Do meu ponto de vista, seria legal ver George lutando no fim, tendo a chance de ganhar posições. Mas acho que, pelo modo como a corrida acabou, o piloto certo venceu, e o fato disso ter acontecido sob safety car é apenas algo que pode acontecer em uma corrida, e é algo que pode acontecer".

Podcast #195 - Fantasma de Abu Dhabi assombra Monza: o que mudar na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Empresa de Alonso gerencia carreira de Gabriel Bortoleto
Próximo artigo F1: Glock revela ameaças de morte após GP do Brasil de 2008

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil