Fórmula 1 GP da Áustria

F1: O que está atrasando a confirmação da parceria entre Red Bull e Porsche?

A parceria antecipada da Red Bull e da Porsche, a partir de 2026, parece ser uma das maiores histórias da Fórmula 1 neste ano - mas ainda estamos aguardando um anúncio

Max Verstappen, Red Bull Racing RB18

Desde que financiou o retorno do GP da Áustria ao calendário da Fórmula 1 em 2014, a Red Bull sempre foi grande em abraçar sua corrida em casa. O Red Bull Ring se tornou o local ideal para anunciar grandes novidades para o futuro, especialmente com mais de 50.000 fãs holandeses presentes para torcer por Max Verstappen.

As notícias da parceria da Red Bull com a Porsche, que é um dos segredos mais mal guardados no paddock, eram amplamente esperadas para serem anunciadas em casa, na Áustria, coincidindo com a aprovação planejada dos regulamentos de motores de 2026 pelo Conselho Mundial do Esporte a Motor da FIA (WMSC em inglês) antes do GP da Grã-Bretanha na semana passada.

Leia também:

No entanto, a reunião do WMSC viu apenas “uma atualização sobre o progresso dos regulamentos das unidades de potência de 2026, que devem ser finalizados e apresentados antes da próxima reunião do Conselho Mundial de Automobilismo”, segundo a FIA. A próxima reunião do WMSC só está marcada para outubro.

O conselho consultivo da Volkswagen já deu luz verde para que suas marcas Porsche e Audi entrem na F1 a partir de 2026 sob os novos regulamentos, que devem focar fortemente em combustível sustentável e simplificar as unidades de potência, eliminando o MGU-H.

Mas as regras precisam ser ratificadas antes que o próximo passo possa ser dado e qualquer anúncio público possa ser feito sobre Porsche e Red Bull. A imagem da Audi é um pouco mais nebulosa, pois continua a explorar opções no grid, com a Sauber - que opera a equipe Alfa Romeo - atualmente parecendo a rota mais provável.

Embora uma votação das equipes, e a aprovação dos novos regulamentos de motores sejam esperadas antes da próxima reunião do WMSC, devam chegar nas próximas semanas, a reunião da Comissão na sexta-feira na Áustria não deve resultar em uma luz verde final.

Questionado sobre o atraso no regulamento do motor de 2026 e se havia alguma preocupação de que isso pudesse adiar novos participantes, o chefe da Red Bull, Horner, disse que era “apenas um processo” e que o lado técnico das regras estava “em grande parte concluído”.

“Essas coisas sempre precisam ser um pacote”, disse Horner. “Você tem regulamentos técnicos, regulamentos esportivos e regulamentos financeiros que precisam ser claros, além de, obviamente, qual será a governança a partir de 26."

“Então, acho que é apenas esse pacote que precisa ser arrumado. Então, realmente está nas mãos da FIA agora. Espero que tenhamos uma atualização na próxima semana na Comissão da Fórmula 1.”

Uma das principais razões pelas quais os fabricantes existentes podem querer se arrastar um pouco, se resume ao ciclo de desenvolvimento que se aproxima para 2026 e às concessões que novos entrantes podem receber. Os regulamentos atualizados da unidade de potência verão elementos como: um limite de orçamento para o desenvolvimento de motores entrar em vigor, além de fazer concessões para novos fabricantes que lhes dariam tempo adicional de dinamômetro e maneiras de ganhar paridade com os fabricantes existentes.

Uma parceria entre a Porsche e a recém-criada divisão de powertrains da Red Bull – que assumiu a unidade de potência da Honda no início deste ano – faria sentido e seria “muito fácil”, para citar o que Horner disse em abril. Mas a preocupação de outros fabricantes de motores seria que, se a Porsche for considerada uma nova participante, ela se beneficiaria dessas concessões enquanto já ganhava uma vantagem com o IP da Red Bull Powertrains/Honda.

O chefe da Alpine, Otmar Szafnauer, que tem interesse nas regras de motores como chefe da equipe de fábrica da Renault, reconheceu o desafio de garantir que “o campo de jogo seja nivelado tanto para os fabricantes de motores que estão no esporte quanto para aqueles que estão chegando” e que era “a parte que demora um pouco”.

A reunião da Comissão de sexta-feira entre as equipes, F1 e FIA ​​estava marcada para ver as negociações continuarem sobre o assunto. Mas até que a aprovação total seja dada e os detalhes completos dos regulamentos do motor de 2026 sejam finalizados, a confirmação do tão esperado retorno da Porsche à F1 e a criação, do que Horner descreveu há alguns meses como potencialmente uma parceria “excitante”, permanece em espera.

PÓDIO: Leclerc DERROTA Max na casa da RBR; Sainz tem carro em CHAMAS e Hamilton se recupera

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #185 - Ainda há quem resista ao halo após mais duas vidas salvas?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Verstappen, Hamilton e chefes de equipe condenam episódios "inaceitáveis" de assédio e preconceito na Áustria
Próximo artigo F1: Pilotos chamam limites de pista de "piada" após 43 infrações na Áustria

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil