F1: "Pérez precisa perceber que ele é Rubens e não Michael", dizem ex-piloto e comentarista

Karun Chandhok e comentarista David Croft compararam situação de piloto mexicano com a de brasileiro na época da Ferrari

Sergio Perez, Red Bull Racing, 2nd position, Max Verstappen, Red Bull Racing, 1st position, talk in Parc Ferme

Embora tenha começado bem a temporada, Sergio Pérez está 125 pontos atrás do líder da Fórmula 1, Max Verstappen, após 12 corridas. O polêmico consultor esportivo da Red Bull, Helmut Marko, disse recentemente que o mexicano acordou de seu sonho de campeonato mundial.

Leia também:

"Sergio agora acordou de seu sonho de ser campeão mundial. Talvez isso o ajude a se concentrar para ter o melhor desempenho novamente”, disse o veterano.

O comentarista da Sky Sports F1, David Croft, também concordou com o chefão da Red Bull, mas o mexicano pode voltar com mais ânimo após as férias de verão.

“Raramente digo isso, mas tendo a concordar com Marko: os problemas de Sérgio começaram quando ele pensou que poderia ser campeão mundial. Ele estava seis pontos atrás de Verstappen em Miami e largou da pole, acho que aquela corrida o quebrou um pouco.”

“Então, na etapa seguinte, em Mônaco, ele bateu durante o Q1 e acho que isso quebrou Checo completamente. Não sou psicólogo, mas acho que depois das férias de verão ele aceitará alegremente que é o segundo piloto, aceitará alegremente o que a Red Bull pedir e que este é um bom lugar onde ele pode ser melhor do que 18 pilotos."

E o especialista da Sky Sports F1, Karun Chandhok, fez um paralelo entre Rubens Barrichello e Pérez - ambos frustrados por não conseguirem vencer ao lado de um dos maiores de suas respectivas épocas.

“É uma situação como a da Ferrari com Michael, Eddie Irvine e Rubens. Rubens chegou à Ferrari em 2000, esperando ser tratado de igual para igual com Michael e competir com ele. Então ele rapidamente percebeu que isso não iria acontecer e ficou basicamente frustrado durante os cinco anos em que estiveram juntos."

“Enquanto isso, Irvine não pensava assim. Era bom estar a três décimos de Michael, correr na Ferrari e vida estava boa. Isso o deixou feliz, ele deve ter ganhado muito dinheiro e sua vida era mais feliz."

“Então, acho que concordo com Crofty: Checo tem que aceitar que está sentado ao lado de um dos maiores e mais talentosos pilotos da F1 de todos os tempos”, disse Chandhok, antes de Croft continuar.

“Checo tem de terminar em segundo se o seu companheiro de equipe vencer e, ocasionalmente, tem de aproveitar a oportunidade para bater Max, o que sabemos que ele pode fazer. Mas ele deve perceber que é um Rubens. Nem Eddie Irvine, nem um Michael Schumacher ", disse o comentarista.

Qual a DIFERENÇA entre o domínio de Max com a Red Bull e pico de Hamilton/Mercedes? E a McLaren?

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast #242 – O que a F1 2023 tem trazido de positivo, apesar da falta de vencedores diferentes?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1: Alpine mira em Binotto como chefe de equipe para 'roubar' engenheiros da Ferrari
Próximo artigo F1: Mercedes briga contra carro "irritantemente morto" nas curvas em 2023

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil