F1: Red Bull revela que Pérez quase abandonou GP de Miami

Mesmo com mudanças durante a corrida, chefe da Red Bull revelou que piloto perdia rendimento em retas e poderia ter sido o segundo colocado na Flórida

F1: Red Bull revela que Pérez quase abandonou GP de Miami
Carregar reprodutor de áudio

A Red Bull revelou que Sergio Pérez esteve "muito perto" de abandonar o GP de Miami de Fórmula 1, como resultado do problema do sensor do motor que desacelerou seu carro.

Pérez estava logo atrás de Carlos Sainz, da Ferrari, nos estágios iniciais da corrida, e parecia pronto para tentar o terceiro lugar quando seu motor perdeu potência.

Leia também:

O problema foi atribuído a uma falha de sensor que desencadeou o desligamento automático de alguns sistemas, e os engenheiros da equipe tiveram que reprogramar as coisas para mantê-lo funcionando.

Apesar da contínua perda de potência, Pérez ainda conseguiu seguir Sainz e terminar em quarto, depois de tentar um ataque com pneus médios.

Mas depois da corrida, o chefe da Red Bull, Christian Horner, confessou que o problema do sensor era tal que era questionável se o mexicano chegaria ou não à bandeira quadriculada.

“Foi por pouco”, disse Horner sobre os riscos de abandono. “Tivemos que mudar os sensores para resolver o problema. Então, isso é algo em que trabalharemos em estreita colaboração com a HRC [divisão de motores da Honda] para tentar entender e, obviamente, garantir que isso não aconteça no futuro.”

Sergio Perez, Red Bull Racing, Christian Horner, Red Bull Racing Team Principal

Sergio Perez, Red Bull Racing, Christian Horner, Red Bull Racing Team Principal

Photo by: Red Bull Content Pool

Horner explicou que o problema com o sensor estava no motor de combustão interna e estava custando a Pérez uma boa parte do seu tempo de volta.

Mas isso prejudicou particularmente sua velocidade máxima, o que significava que ele não conseguiu obter a vantagem de fim de reta que precisava sobre Sainz uma ultrapassagem nos estágios finais.

“Ele teve um problema com um sensor em um dos cilindros”, acrescentou Horner. “Os caras conseguiram mudar os sensores, mas ele estava provavelmente com 20 quilowatts de potência a menos como resultado.

“Mesmo com a vantagem do pneu novo que tinha, ele provavelmente estava meio segundo atrás do que o carro era capaz de fazer em reta. E acho que sem isso ele provavelmente teria sido P2.”

Embora o problema do sensor de Pérez seja o mais recente de uma série de problemas de confiabilidade que atingiram a Red Bull este ano, Horner não acha que a equipe tenha muito o que se preocupar nessa área.

“Não acho que o carro seja particularmente frágil”, disse ele. “Acho que houve coisas que você normalmente veria nos testes de pré-temporada, mas só apareceram quando entramos no campeonato”, disse ele.

“Isso tem sido frustrante. Mas estamos trabalhando em estreita colaboração com a HRC e eles estão nos dando um grande apoio. Então acho que vamos resolver isso.”

VÍDEO: Red Bull de Verstappen é melhor que a Ferrari de Leclerc?

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast - Verstappen derrota Leclerc em Miami e incendeia campeonato

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
RETA FINAL: Verstappen brilha e Leclerc liga sinal de alerta em Miami
Artigo anterior

RETA FINAL: Verstappen brilha e Leclerc liga sinal de alerta em Miami

Próximo artigo

F1: Mercedes pode descartar conceito do 'zeropod' após GP da Espanha

F1: Mercedes pode descartar conceito do 'zeropod' após GP da Espanha