F1: Renault retira apelação à FIA contra decisão sobre Racing Point

Equipe francesa divulgou nesta terça-feira que não está mais apelando contra pena imposta pela FIA à 'Mercedes Rosa'

F1: Renault retira apelação à FIA contra decisão sobre Racing Point

A novela dos dutos de freios da Racing Point, ganhou um novo capítulo nesta terça-feira. A Renault anunciou que está fora da apelação que pedia uma pena mais dura à equipe inglesa, apelidada em 2020 de 'Mercedes Rosa', que foi punida em 15 pontos no campeonato de construtores e foi multada em 400 mil euros, por ter se utilizado do mesmo projeto de dutos de freios do modelo de 2019 da Mercedes, quando o dispositivo começou a fazer parte de uma série de itens que teriam que ser desenvolvidos pelos próprios times.

A equipe disse que, com a FIA tendo prometido abordar a questão das cópias dos carros com mudanças nos regulamentos que impediriam qualquer um de fazer o que Racing Point fez, ela estava satisfeita que suas preocupações estavam sendo resolvidas.

Leia também:

Renault disse: “Além das decisões, as questões em questão foram vitais para a integridade da Fórmula 1, tanto durante a temporada atual quanto no futuro."

“No entanto, o trabalho intensivo e construtivo entre a FIA, a Renault DP World F1 Team e todas as partes interessadas da Fórmula 1 levou a um progresso concreto na salvaguarda da originalidade no esporte por meio de emendas aos Regulamentos Esportivos e Técnicos planejados para a temporada de 2021, confirmando os requisitos para se qualificar como um construtor."

“Alcançar este objetivo estratégico, no âmbito do novo Acordo de Concórdia, era a nossa prioridade. A polêmica do início desta temporada deve ser deixada para trás, pois precisamos nos concentrar no restante de um campeonato intenso e único.”

Pouco depois de os comissários da FIA decidirem que a Racing Point violou os regulamentos para o uso de dutos de freio projetados pela Mercedes, o órgão regulador revelou que queria mudar as regras para evitar que essas táticas se tornassem comuns.

Nikolas Tombazis, chefe para assuntos de monopostos da FIA, disse: “Isso evitará que as equipes usem fotos extensas para copiar partes inteiras de outros carros da maneira que o Racing Point fez.

"Ainda aceitaremos que componentes individuais sejam copiados em áreas locais, mas não queremos que o carro inteiro seja basicamente uma cópia de outro carro."

Embora a Renault tenha optado por desistir do processo de apelação, entende-se que a situação da Ferrari em levar adiante seu caso permanece inalterada por enquanto.

A equipe italiana está buscando clareza sobre até que ponto as equipes podem colaborar e copiar umas às outras, o que ela acredita ser um assunto importante que precisa ser definido para o futuro da F1.

A equipe italiana também está buscando respostas sobre o envolvimento da Racing Point e da Mercedes neste caso.

Se não conseguir obter a clareza que procura, não vê outra alternativa a não ser levar o assunto até o fim, até a Corte de Apelações.

No entanto, se a FIA for capaz de fornecer uma explicação firme sobre onde estão os limites e o que é e não é permitido, isso pode ser o suficiente para que se junte à Renault e evite levar o assunto adiante.

Polêmica: entenda o que está por trás da queda de braço entre a Renault e a Racing Point na F1

 

 

compartilhar
comentários
F1: Massa se diz feliz com retorno da Turquia e a vê como melhor pista entre as modernas
Artigo anterior

F1: Massa se diz feliz com retorno da Turquia e a vê como melhor pista entre as modernas

Próximo artigo

F1: Ferrari identifica problema que levou ao abandono de Leclerc no GP da Espanha

F1: Ferrari identifica problema que levou ao abandono de Leclerc no GP da Espanha
Carregar comentários