F1: Russell alerta que configurações das barreiras de pneu precisam mudar

Após chocante acidente de Zhou, britânico alerta ao fato de que o chinês ficou preso em um vão onde nada poderia fazer para escapar daquela condição

F1: Russell alerta que configurações das barreiras de pneu precisam mudar
Carregar reprodutor de áudio

George Russell declarou que a Fórmula 1 precisa repensar as configuração e posicionamento das barreiras de pneus, após o assustador acidente de Guanyu Zhou no GP da Grã-Bretanha. Após capotar na largada da etapa, o carro dele parou entre a proteção e a grade que protege o público nas arquibancadas.

A questão é que após ser tocado no acidente, que envolveu o próprio Russell e Pierre Gasly, o carro de Zhou parou em um vão. Com as discussões sobre a quebra do Santo Antônio à parte, o chines escapou de se ferir com gravidade, ficando com o carro em um local que não é o ideal na questão da segurança.

Enquanto corria para checar as condições de Zhou imediatamente após a batida, Russell disse que alguns pensamentos passaram por sua cabeça para contribuir com o progresso no quesito segurança.

O editor recomenda:

“Naquela posição, ele estava preso ali. Não tinha nada que ele poderia ter feito”, declarou. “Temos de pensar em como evitar que um carro fique preso em um espaço tão pequeno, entre a barreira dos pneus e a cerca metálica. Ele estava em um lugar sem ter para onde ir”, completou.

Russell explicou que o incidente foi desencadeado por ele ficar "atolado" na largada por ele estar com pneus mais lentos. “Foi um incidente incrivelmente assustador, não apenas para ele, mas tenho certeza para todos na arquibancada também. Não foi bom de ver”, comentou.

“Apostamos nos duros porque eu não fiz um bom trabalho na classificação e estávamos largando mais atrás. Sabíamos que seria complicado, mas fique completamente atolado no início e, o que sei, é que estava ao lado do Zhou. Muitas emoções diferentes”, seguiu Russell.

Zhou Guanyu, Alfa Romeo C42 crashes at start of race

Zhou Guanyu, Alfa Romeo C42 crashes at start of race

Photo by: Motorsport Images

Depois de ter ficado aliviado que o chinês estava bem, veio o aborrecimento: Russell não pode relargar após a bandeira vermelha. “Quando voltei ao carro, eu não chegar ao carro, mas eu queria checar com minha equipe. Ele já estava no guincho e eles não me deixaram relargar. É irritante, pois nosso único problema foi um furo no pneu. O carro estava bom. Danos pequenos, que não seriam suficientes para um abandono”, disse.

Russell foi visto protestando com o delegado técnico da FIA, Jo Bauer, até ser informado de que ele não poderia voltar por ter recebido uma assistência externa.

"Aparentemente, assim que você recebe ajuda, você não pode continuar. Então é muito frustrante, porque o carro acabou com um furo. E não há dúvida de que tivemos o ritmo para voltar ao P6 hoje”, finalizou, em declaração à Sky.

compartilhar
comentários
F1: Alonso admite que negociações com Alpine ainda não começaram
Artigo anterior

F1: Alonso admite que negociações com Alpine ainda não começaram

Próximo artigo

TELEMETRIA: Rico Penteado analisa erro da Ferrari, ascensão de Hamilton e projeta Áustria

TELEMETRIA: Rico Penteado analisa erro da Ferrari, ascensão de Hamilton e projeta Áustria