F1: Schumacher explica motivos por trás de batida "estranha" em Mônaco

Para alemão, discussão seria diferente caso já tivesse conquistado pontos em 2022

F1: Schumacher explica motivos por trás de batida "estranha" em Mônaco
Carregar reprodutor de áudio

Mick Schumacher admitiu que sua batida "estranha" no GP de Mônaco de Fórmula 1 foi causado por sair da linha ideal, colocando o carro em um trecho úmido da pista, que ainda estava secando.

O forte choque levou à interrupção da corrida, porque a traseira do carro se separou do resto após ele bater no muro no meio do complexo da piscina, atingindo ainda a barreira de proteção no fim.

Leia também:

Logo após a batida, ele ainda não havia entendido como que conseguiu perder o controle tão rapidamente em uma seção de alta da pista, enquanto seu engenheiro sugeriu pelo rádio que ele poderia ter atingido a barreira antes, quebrando algo.

Mas agora, tendo olhado para os dados, Schumacher admite que simplesmente errou a trajetória na Tabac, resfriando seus pneus em uma área molhada, atingindo outra poucos segundos depois na piscina, onde foi apenas 10cm mais largo que a linha ideal.

"A pista inteira estava bem úmida em algumas partes", disse ao Motorsport.com. "E outras já estavam secas. Acabei indo um pouco além na curva 12 [Tabac], o que resfriou o lado direito. E quando passei pela chicane, eu achei que as circunstâncias estavam fáceis".

"Acabei errando o lugar um pouco, basicamente dez centímetros em uma área molhada, e isso gerou uma girada dupla dos pneus, porque tínhamos muita potência naquele momento. E isso me fez rodar. Eu tentei corrigir, mas acabei acertando o muro".

Mick Schumacher, Haas VF-22 crash

Mick Schumacher, Haas VF-22 crash

Photo by: Steven Tee / Motorsport Images

Schumacher insiste que não teve nenhum tipo de alerta de que poderia perder o controle do carro assim.

"Veio do nada. E falei com outras pessoas. A maioria do feedback que eu recebi é que realmente parece estranho. Então, obviamente, não podemos checar se algo realmente se quebrou. Mas os dados sugerem que não, que foi apenas o trecho molhado.

"Foi muito estranho, porque o acidente por si só não foi duro. Ter o carro rachando ao meio é uma infelicidade, porque é um dano muito extenso".

A batida de Mônaco veio apenas algumas semanas após Schumacher ter um grande acidente na classificação para o GP em Jeddah, que o fez perder a prova. Ele explicou que precisa correr riscos para tirar os resultados que o carro é capaz de ter, e admite que precisa aprender a balancear tudo.

O alemão sugere ainda que estaria menos nos holofotes caso já tivesse conquistado pontos em 2022.

"Tivemos momentos antes, com boas corridas que não foram recompensadas. E se eu fosse recompensado por isso, acho que a conversa sobre isso agora seria muito diferente. Então é mais uma questão de tempo".

Schumacher perdeu a caixa de câmbio no acidente, enquanto seu chassi segue sob reparos na fábrica da Haas, mas sua unidade de potência da Ferrari segue utilizável.

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações para ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #181 – O que novo carro da F1 tem de melhor e pior até agora?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1: Alfa Romeo revela pintura especial para o GP do Azerbaijão
Artigo anterior

F1: Alfa Romeo revela pintura especial para o GP do Azerbaijão

Próximo artigo

F1 - Gasly alfineta Pérez: "cumpre o que a Red Bull espera de um segundo piloto"

F1 - Gasly alfineta Pérez: "cumpre o que a Red Bull espera de um segundo piloto"