Fórmula 1 GP dos Estados Unidos

F1: Vettel destaca que vai "sentir muita falta" da adrenalina de batalhas emocionantes como no GP dos EUA

Alemão ultrapassou Kevin Magnussen, da Haas, na última curva da volta derradeira em Austin

Kevin Magnussen, Haas F1 Team, Sebastian Vettel, Aston Martin, talk in Parc Ferme after the race

Sebastian Vettel, da Aston Martin, diz que vai "sentir falta da adrenalina" de batalhas roda a roda como a que aconteceu com Kevin Magnussen em Austin, mas descartou estar pensando duas vezes a respeito da sua aposentadoria da Fórmula 1 no fim desta temporada.

Leia também:

Enquanto a equipe de Silverstone desfrutava de uma surpreendente melhora na performance no Circuito das Américas, Vettel e seu companheiro de equipe Lance Stroll estavam competindo pelo melhor lugar no pelotão da frente nas etapas iniciais do GP dos Estados Unidos de domingo.

Mas como Stroll saiu da corrida colidindo com Fernando Alonso, da Alpine, que rendeu ao canadense uma penalidade de três posições no grid para o México, a corrida de Vettel também quase foi desfeita devido a um lento segundo pitstop.

O alemão, que está se aposentando da F1 no final desta temporada após uma carreira brilhante, lutou até o oitavo lugar com um par de ultrapassagens impressionantes ao redor de Alex Albon e Kevin Magnussen, o último movimento ocorrendo na última volta da corrida.

Enquanto Vettel enfatizou que sua "decisão foi tomada" de encerrar sua carreira na F1, ele admitiu que "vai sentir falta da adrenalina" de sua passagem final cheia de ação em COTA.

"Obviamente, sentirei falta desses momentos. Isso não é segredo", disse o tetracampeão mundial.

"Mas eu pensei muito para tomar a decisão e também pensei sobre esses momentos em que vou sentir muita falta da adrenalina e assim por diante. Obviamente, partes de mim sentirão muita falta disso; outras partes estão ansiosas pelo que está por vir."

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Sebastian Vettel, Aston Martin AMR22

Photo by: Zak Mauger / Motorsport Images

Vettel disse que foi uma "surpresa total" para a Aston Martin ser mais rápida do que seus rivais do pelotão intermediário durante todo o fim de semana. Mas o carro não tinha a velocidade máxima para ultrapassagens diretas do DRS. Por isso teve que ser ousado ao atacar Albon e Magnussen no setor final, fazendo passes quase idênticos na direita quádrupla.

"Foi uma surpresa total ser mais rápido que a McLaren e a Alpine", admitiu. “Quero dizer, cuidamos bem dos pneus, mas não acho que esse seja o fator principal. Obviamente, sem o pitstop lento, teríamos marcado o dobro dos pontos. Em troca, pelo menos, tive uma corrida divertida no final e pudemos recuperar alguns deles.

"Infelizmente, não tínhamos ritmo nas retas para passar confortavelmente, então tive que tentar algo incomum, seja nos freios ou em pontos incomuns. Eu fiz e funcionou na maioria das vezes.

"Eu definitivamente me diverti e tive batalhas apertadas, especialmente com Kevin no final. É um clímax e ele é um dos mais difíceis de ultrapassar em todo o grid. Mas ele deixou espaço suficiente e foi uma boa diversão para nós dois."

 

 

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior Giovinazzi espera que batida em Austin não mine chances de retorno à Fórmula 1
Próximo artigo F1: Alonso coloca 'panos quentes' sobre acidente com Stroll em Austin

Principais comentários

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil Brasil