F1: Wolff sugere rotação de engenheiros e mecânicos para lidar com calendário de 23 GPs

Chefe da Mercedes não é contra expansão do calendário, mas pede cautela para evitar esgotamento de funcionários das equipes

F1: Wolff sugere rotação de engenheiros e mecânicos para lidar com calendário de 23 GPs

Os detalhes da temporada 2022 da Fórmula 1 seguem desconhecidos, mas um ponto principal já sabemos: o recorde de 23 etapas. E em meio à preocupações sobre o desgaste excessivo dos funcionários das equipes, Toto Wolff, chefe da Mercedes, propõe uma ideia que pode ajudar: a rotação do pessoal ao longo do ano.

O cronograma deve contar ainda com a volta das rodadas triplas, tão criticadas pelos chefes de equipe, podendo ter ainda combinações distantes, como seria originalmente em 2021 Rússia - Singapura - Japão.

Leia também:

Vários chefes de equipe já se manifestaram contra isso: "O mais importante, do meu ponto de vista, é obviamente que não aumentemos mais o número de provas por ano, porque o que temos agora já é um fardo muito pesado", disse Andreas Seidl, chefe da McLaren.

"E outro tópico importante é também o número de rodadas triplas. Do meu ponto de vista, devemos evitá-los completamente, novamente para reduzir a carga sobre nossa equipe".

À frente da Haas, Gunther Steiner revelou que havia expressado sua opinião ao CEO da F1, Stefano Domenicali, e parecia otimista sobre o que aconteceria a seguir.

"Falei com ele sobre isso algumas vezes, e ele concorda que talvez seja melhor termos mais rodadas duplas em vez de triplas e corridas sozinhas. Todos sabem que as triplas exigem muito da equipe, e é possível sentir isso".

"[Monza] é a terceira corrida consecutiva, e está sendo difícil de fazer. Antes de obter o calendário, não sei o que vai acontecer, mas acho que o objetivo será ter o menor número possível de rodadas triplas. As rodadas triplas não podem ser a norma da F1".

Obviamente, os pedidos fracassaram. A temporada de 2022 terá 23 corridas entre março e novembro, incluindo quase um mês de pausa de verão. Com isso, as triplas serão quase inevitáveis. Para Wolff, a solução é simples: um rodízio de engenheiros e mecânicos, para que cada um faça apenas 18 provas no ano.

"Acho que, por mais que queiramos correr ao redor do globo, proporcionando um grande show em grandes destinos, garantindo o desenvolvimento da F1 em público, alcance e receita, temos que ver o impacto que isso tem na equipe", disse ao Motorsport.com. "23 corridas, com rodadas triplas, acabam deixando um impacto".

Toto Wolff, Team Principal et PDG, Mercedes AMG, avec des membres de Mercedes dans leur garage

 

“Você pode pegar a mentalidade antiquada e dizer: 'Pense apenas que está feliz por estar na Fórmula 1 e, se não aguentar isso, faça outra coisa', o que é totalmente contra a maneira como eu atuo. para criar um ambiente onde seja viável. Não queremos reduzir o número de corridas, concordo totalmente com Stefano [Domenicali] nesse lado. "

"Das 23 corridas, ser capaz de fazer cinco faz uma grande diferença para cada pessoa na F1. Temos que estabelecer algum tipo de ambiente regulatório e dizer a quantas corridas alguém pode ir, para ter uma cota e uma rotatividade." Uma solução que iria, segundo Wolff, promover os jovens no Grande Prêmio.

Resta saber se isso irá satisfazer o pessoal da equipe e até mesmo os motoristas, por exemplo, Sebastian Vettel, que não deixa de expressar sua preocupação com os colegas diante desta agenda lotada.

"Somos pilotos e estamos no lado bom, podemos chegar na quarta à noite, indo embora no domingo. Mas a equipe passa por mais. Eles chegam na segunda ou até no sábado anterior para montar a garagem, preparar os carros e depois ainda desmontam tudo para mandar de volta à fábrica".

"Para eles, é um trabalho que ocupa todos os dias da semana e quase todos os fins de semana, então não há tempo para si próprio".

"E em uma época em que as pessoas têm uma consciência maior de sua vida paralela, que não pertence ao seu chefe, considero fundamental que continuemos tendo cada vez mais corridas".

"Em sua, temos que garantir que as pessoas tenham um equilíbrio entre a vida em casa e o tempo gasto em viagens. Mas acho que o número de tarefas precisa ser viável, para manter viva a paixão por muitos anos".

NOVA GERAÇÃO: Como MAX, George, Charles, Lando e cia são JULGADOS na F1? Produtora da Band ABRE JOGO

Assine o canal do Motorsport.com no YouTube

Os melhores vídeos sobre esporte a motor estão no canal do Motorsport.com. Inscreva-se já, dê o like ('joinha') nos vídeos e ative as notificações, para sempre ficar por dentro de tudo o que rola em duas ou quatro rodas.

Podcast #138 – Red Bull não sabe o que fazer contra Mercedes após GP da Turquia?

 

 

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

compartilhar
comentários
F1 - Coulthard: "Erros mostram que Hamilton está pressionado"
Artigo anterior

F1 - Coulthard: "Erros mostram que Hamilton está pressionado"

Próximo artigo

F1: Horner fala sobre popularidade de Verstappen na Red Bull

F1: Horner fala sobre popularidade de Verstappen na Red Bull
Carregar comentários