Grosjean rebate críticos da Haas e vê "100% de ciúmes"

compartilhar
comentários
Grosjean rebate críticos da Haas e vê "100% de ciúmes"
Por:

Dirigentes da Williams e da Force India questionaram se abordagem da equipe, que tem parceria técnica com a Ferrari, é boa para a F1

Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-16
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-16
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-16
Romain Grosjean, Haas F1 Team
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-16
Romain Grosjean, Haas F1 Team VF-16

O francês Romain Grosjean acredita que os críticos da abordagem da equipe Haas na F1 estão apenas com ciúmes do desempenho do time americano em suas duas primeiras corridas.

O piloto terminou em sexto na Austrália e quinto no Bahrein, consolidando um início promissor da Haas na categoria.

Mas alguns rivais têm questionado a abordagem da equipe americana na F1, insinuando que a Haas não é um verdadeiro construtor porque muitos de seus componentes são fornecidos pela Ferrari.

Grosjean acha que a Haas está fazendo bem para o esporte, e os rivais não devem ser críticos quanto a isso.

Quando perguntado se os críticos de sua equipe foram ciumentos, o francês disse: "cem por cento"

"Existem duas abordagens. Tem a abordagem da Claire Williams que é muito boa para a F1, e há uma nova equipe vindo, e uma equipe americana que tem sido bem sucedida e abrindo audiência para um grande mercado".

"Abrem-se ideias para outras pessoas que querem aderir à F1 e estou certo que nós gostaríamos de ver 24, 26, 28 carros no grid. Seria incrível", disse.

"Há outras pessoas que estão apenas com inveja porque não atingiram o que temos até agora. Eles dizem que esta é uma Ferrari B, e não é a forma como deve ser. Espera aí. Isso é F1".

Grosjean disse que a quantidade de ajuda da Ferrari não é diferente ao que a Lotus estava recebendo da Mercedes na temporada passada.

"Não é mais do que estava fazendo a Mercedes no ano passado. Todo mundo gosta de dizer que é uma Ferrari B, mas não é".

"É uma filosofia completamente diferente se você olhar para as asas e os sidepods, o nariz, é um carro Haas. Sim, temos as peças mecânicas da Ferrari, que nos salvou de um monte de problemas, mas o resto é um carro Haas."

Além das críticas do chefe técnico da equipe da Williams, Pat Symonds, nesta semana o vice-diretor de equipe da Force India, Bob Fernley, questionou se a abordagem da Haas era boa para a F1.

Reportagem adicional de Jonathan Noble

Dúvidas sobre futuro não prejudicam Sauber, diz Nasr

Artigo anterior

Dúvidas sobre futuro não prejudicam Sauber, diz Nasr

Próximo artigo

Falta de documento quase impediu retorno de Alonso

Falta de documento quase impediu retorno de Alonso
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Evento GP da China
Localização Shanghai International Circuit
Pilotos Romain Grosjean
Equipes Haas F1 Team
Autor Pablo Elizalde