Honda confirma junto à FIA interesse em retorno à F1 em 2026

Anúncio não formaliza retorno à F1, mas permite que montadora participe das negociações sobre o novo regulamento

Honda Logo

A Honda volta a aumentar as especulações sobre um retorno oficial à Fórmula 1 em 2026, revelando nesta segunda-feira (12) que registrou junto à Federação Internacional de Automobilismo seu interesse em se tornar uma fornecedora de motores sob o regulamento de 2026.

A montadora japonesa saiu do esporte no final da temporada 2021, deixando claro que seu foco estava em expandir seus negócios na área da eletrificação, o que não justificaria a permanência na F1. Mas, ao ceder a propriedade intelectual de suas unidades de potência para a Red Bull até 2025, a marca se manteve próxima.

Leia também:

Desde então, o sucesso da Red Bull só aumentou, com Max Verstappen conquistando o bicampeonato. Isso fez com que a Honda retomasse sua presença no esporte este ano, com a logo da marca voltando a figurar nos carros da equipe austríaca e da AlphaTauri desde o GP do Japão.

Após o fim do acordo, a Red Bull planeja dar sequência ao seu projeto da Red Bull Powertrains, produzindo seu próprio motor. Mas as conversas sobre a Honda voltar à F1 começaram a avançar após as negociações da equipe com a Porsche irem por água abaixo.

Imediatamente após o surgimento das notícias, a Red Bull disse que estava aberta a uma parceria com a Honda, especialmente para o desenvolvimento dos componentes elétricos do motor. A ideia agora parece avançar, com o chefe de automobilismo da Honda revelar nesta segunda-feira que a montadora formalmente registrou seu interesse em ser fornecedora de motores novamente.

A FIA pediu às montadoras interessadas em fazer parte do grid em 2026 que notifiquem a federação até o meio de novembro. Yasuharu Watanabe, presidente da Honda Racing, confirmou que a Honda fez isso, mas deixou claro que isso não é uma garantia do retorno da marca.

"Como HRC, registramos como fornecedora de motores para 2026", disse Watanabe durante a apresentação do Plano de Atividades da Honda Motor Sports para 2023. "O regulamento da F1 para 2026 e além está se movendo na direção da neutralização das emissões de carbono".

"Além disso, o fato deles estarem promovendo a eletrificação, a neutralização das emissões de carbono e a eletrificação que a Honda está promovendo é a mesma. Nossos objetivos são iguais. Como uma empresa de corridas, nos registramos para avançar nas pesquisas em corridas".

"Há também a questão do prazo de 15 de novembro. Nós registramos como montadoras para darmos os próximos passos".

A decisão da Honda faz com que a marca tenha uma janela para avaliar se formaliza o retorno em 2026, que pode ser em um projeto solo ou em parceria com a Red Bull. Caso não tivesse feito isso até o prazo de novembro, teria sido complicado retornar em 2026 de forma tardia, já que não poderia estar envolvida em nenhuma discussão formal que acontece no momento entre a FIA e as montadoras.

Faça parte do Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube

Quer fazer parte de um seleto grupo de amantes de corridas, associado ao maior grupo de comunicação de esporte a motor do mundo? CLIQUE AQUI e confira o Clube de Membros do Motorsport.com no YouTube. Nele, você terá acesso a materiais inéditos e exclusivos, lives especiais, além de preferência de leitura de comentários durante nossos programas. Não perca, assine já!

Podcast: 'era Verstappen' tem prazo de validade na F1?

 

ACOMPANHE NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Faça parte da comunidade Motorsport

Join the conversation
Artigo anterior F1 - Ex-McLaren e os bastidores de Hamilton x Alonso: "Jogamos 2007 fora"
Próximo artigo F1: Leclerc 'rasga' elogios a Vasseur e espera "transição suave" no comando da Ferrari

Principais comentários

Ainda não há comentários. Seja o primeiro a comentar.

Cadastre-se gratuitamente

  • Tenha acesso rápido aos seus artigos favoritos

  • Gerencie alertas sobre as últimas notícias e pilotos favoritos

  • Faça sua voz ser ouvida com comentários em nossos artigos.

Motorsport prime

Descubra conteúdo premium
Assinar

Edição

Brasil