Fórmula 1
29 ago
-
01 set
Evento encerrado
05 set
-
08 set
Evento encerrado
19 set
-
22 set
Evento encerrado
26 set
-
29 set
Evento encerrado
10 out
-
13 out
Evento encerrado
31 out
-
03 nov
Próximo evento em
12 dias
14 nov
-
17 nov
R
GP de Abu Dhabi
28 nov
-
01 dez
Próximo evento em
40 dias

McLaren diz que não se arrepende de saída “cara” da Honda

compartilhar
comentários
McLaren diz que não se arrepende de saída “cara” da Honda
Por:
18 de dez de 2018 20:51

Presidente da McLaren insiste que equipe fez a coisa certa ao se separar da Honda, mesmo que decisão "cara" não tenha produzido um aumento de performance

Após três anos difíceis com a Honda, a McLaren decidiu fazer a transição para se tornar cliente da Renault em 2018.

Acredita-se que a decisão tenha custado à McLaren até US$ 100 milhões (aproximadamente R$ 390 milhões) graças à perda dos motores e do suporte financeiro da Honda, além de ter que pagar pelas unidades de energia da Renault.

Mas apesar do custo extra e do fato de que o progresso da Honda em 2018 foi suficiente para convencer a rival Red Bull para ter seu motor, o presidente da McLaren, Sheikh Mohammed bin Essa Al Khalifa, disse que não há arrependimentos sobre o que aconteceu.

Refletindo sobre seus sentimentos em relação à temporada que se foi, Mohammed, que representa o fundo de investimento Mumtalakat do governo do Bahrein que são acionistas da McLaren, disse: "Por um lado, frustrados, por outro, estamos comprometidos com isso.”

"A maneira como estávamos indo significava que uma mudança estava prestes a acontecer. Temos um grande respeito à Honda, mas o relacionamento não estava funcionando, então tivemos uma discussão civilizada e decidimos nos separar.”

"Foi uma decisão cara para nós, mas foi no interesse de longo prazo da empresa. Por isso, não lamentamos a decisão."

Com a McLaren enfrentando um difícil 2018, Mohammed diz que ele se interessou mais pelas atuações da equipe do que antes.

"Sim, estou mais envolvido nos detalhes e no entendimento", disse ele. "Eu sou um piloto, então eu aprecio os números. Pontos de downforce, ou suspensão, ou o que você quiser chamar."

Sheikh Mohammed diz que entende que não há uma solução rápida para os problemas da McLaren e que tem paciência para resolver o problema.

"Estou na F1 desde 2000 no paddock e somos donos desde 2007, e as pessoas dizem: ‘você deve mudar ou fazer isso’", disse ele.

"Mas já estou aqui há tempo suficiente para perceber que a solução não é rápida. É um passo gradual de decisões informadas sobre como consertar as coisas e tentamos fazer isso.”

"O papel da administração é gerenciar a equipe. Estamos aqui para fornecer os recursos e é isso que eu continuei pressionando: me diga o que você precisa e concordamos em apoiá-los.”

"Vamos ver isso. É muito frustrante porque as corridas estão em nossos corações."

O presidente-executivo da McLaren, Zak Brown, disse que acha que a equipe é ajudada pelo fato de Mohammed ter um envolvimento estreito nos acontecimentos, em vez de ser mantido à distância.

"Acho que os CEOs têm estilos diferentes", explicou Brown. "Meu estilo é que eu quero estar muito envolvido com meu presidente. Então não surpreenda seu presidente.”

"Eles têm uma história muito longa no esporte que eu valorizo ​​sua contribuição e quero sua contribuição e influência. Então, é uma ótima relação de trabalho."

"Eu acho que há alguns CEOs que pensam: 'Eu tenho a bola, me deixe apenas correr com isso', mas isso não tem sido o meu estilo. Então há muitas áreas onde o Sheikh Mohammed ajuda e eu pedi para ele se envolver para usar sua influência ou que busque sua influência."

Fernando Alonso, McLaren MCL33, and Pierre Gasly, Toro Rosso STR13, go wheel-to-wheel

Fernando Alonso, McLaren MCL33, and Pierre Gasly, Toro Rosso STR13, go wheel-to-wheel

Photo by: Sam Bloxham / LAT Images

Próximo artigo
TOP-12: Os companheiros de equipes mais problemáticos da F1

Artigo anterior

TOP-12: Os companheiros de equipes mais problemáticos da F1

Próximo artigo

Hamilton se retrata após chamar cidade natal de “favela”

Hamilton se retrata após chamar cidade natal de “favela”
Carregar comentários

Sobre esta matéria

Categoria Fórmula 1
Equipes McLaren Compre Agora
Autor Jonathan Noble