Mercedes admite repensar ordens de equipe após nova derrota

Toto Wolff, chefe da equipe alemã, diz que poderá pedir mais cedo pela troca de posição entre seus pilotos em caso de ameaça da Ferrari

Mercedes admite repensar ordens de equipe após nova derrota
Toto Wolff, Executive Director (Business), Mercedes AMG
Toto Wolff, Executive Director, Mercedes AMG
Podium: winner Sebastian Vettel, Ferrari, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1, third place Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H,Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08, Max Verstappen, Red Bull Racing RB13
Valtteri Bottas, Mercedes AMG F1 W08, leads Sebastian Vettel, Ferrari SF70H, and Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Lewis Hamilton, Mercedes AMG F1 W08
Lewis Hamilton, Mercedes AMG
Polesitter: Valtteri Bottas, Mercedes AMG, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG, third place Sebastian Vettel, Ferrari
Polesitter: Valtteri Bottas, Mercedes AMG, second place Lewis Hamilton, Mercedes AMG
Carregar reprodutor de áudio

A Mercedes admitiu que pode precisar repensar sua abordagem para aplicar ordens de equipe após a vitória da Ferrari no GP do Bahrein, o que coroa o forte início de 2017 para os italianos.

Em Sakhir, Sebastian Vettel conquistou sua segunda vitória em três corridas no ano, com Lewis Hamilton tentando persegui-lo na fase final da prova.

A Mercedes reconheceu que, caso tivesse intervindo antes e pedido mais cedo para que Hamilton ultrapassasse seu companheiro, Valtteri Bottas, isso poderia ter causado maior ameaça a Vettel. No entanto, a equipe estava preocupada que isso poderia ser injusto com seus pilotos.

A equipe que ganhou os últimos três mundiais tinha uma política rigorosa para que Hamilton e Nico Rosberg possuíssem liberdade para brigar de igual para igual nas últimas temporadas.

No entanto, como Vettel voltou à liderança isolada do campeonato, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, admitiu que sua equipe pode operar de forma diferente de agora em diante, mesmo que a contragosto.

“Não gostamos disso, de forma alguma”, disse Wolff, quando questionado se a Mercedes poderia mudar sua forma de trabalhar.

“Não foi o que fizemos nos últimos anos, mas a situação é diferente agora. Então, isso exige uma análise apropriada. Gostaríamos de dar oportunidades iguais no início da corrida – acho que devemos isso aos pilotos. Aí então nós vimos o que aconteceu na corrida: tomamos a decisão por duas vezes porque sentimos que havia apenas uma possibilidade de vencer.”

Wolff esclareceu que é improvável que a Mercedes aponte um piloto número um antes do início da corrida, descrevendo a ideia de priorizar um piloto como “dura demais” e que isso vai “na contramão do que fizemos nos últimos anos”.

Bottas enfrentou dificuldades para liderar a prova em seu início, com pneus com pressão mais alta que o normal e após uma falha no gerador de seu carro antes da largada. 

Wolff reconheceu que, se Vettel não estivesse entre as duas Mercedes, a equipe teria pedido para que Bottas saísse do caminho de Hamilton muito antes.

“É importante que iniciemos a corrida dando oportunidades iguais aos pilotos. Se você tem dois carros largando na primeira fila, você deve deixá-los correr. Mas, quando temos um problema no carro como tivemos, essa seria a situação que consideraríamos trocar a ordem, mas, como a Ferrari estava no meio, não podíamos fazer isso. É apenas a terceira corrida do ano, então não queremos ir por esse caminho.”

Hamilton atualmente tem 61 pontos no campeonato de pilotos, sete a menos que Vettel. Bottas é o terceiro da tabela, com 38 pontos.

compartilhar
comentários
Bahrein tem disputas, batida e nova vitória de Vettel; veja
Artigo anterior

Bahrein tem disputas, batida e nova vitória de Vettel; veja

Próximo artigo

Alonso define falha em motor de Vandoorne como "incrível"

Alonso define falha em motor de Vandoorne como "incrível"